Arcebispo americano propõe remédio espiritual para combater o ativismo

por -
Pixabay

Em sua coluna semanal, o Arcebispo de Los Angeles (Estados Unidos), Dom José Gómez, assegurou aos fiéis que a oração do Rosário é o remédio para a cultura do ativismo, onde “não temos tempo suficiente para rezar” e “chegamos a ver o tempo que passamos com Deus como um tempo desperdiçado, um tempo que é chato ou não produtivo”.

Dom Gómez manifestou sua preocupação a respeito das novas tecnologias, porque “estão se convertendo em algo mais do que simples ferramentas para nos ajudar a realizar tarefas e fazer com que a nossa vida seja mais fácil. Preocupa-me que estas tecnologias estejam mudando a forma de pensar e a maneira através da qual experimentamos a realidade”.

O Prelado acrescentou que existe outro problema, até mesmo mais antigo do que as novas tecnologias, chamado “ativismo”, ou seja, uma mentalidade que afirma que o principal na vida é a atividade e o “fazer”.

“Todos nós estamos sujeitos a esta tentação e cada vez mais nesta cultura da comunicação constante. Acredito que todos nós conhecemos bem essa sensação de ficar presos e consumidos pelas nossas atividades, inclusive das coisas boas que estamos fazendo para ajudar os outros e a serviço do Evangelho”, indicou.

O Arcebispo de Los Angeles também advertiu sobre perigo do ativismo porque “chegamos a ver o tempo que passamos com Deus como um tempo desperdiçado, um tempo que é chato ou não produtivo”.

Recordou ainda as palavras do Papa Francisco sobre as pessoas que estão envolvidas em atividades pastorais e que caem em “ativismo pastoral” qualificado como “um perigo sempre presente”.

”Frente a esta situação (…) proponho como remédio espiritual o Rosário, esta é a “oração perfeita para estes tempos de distração, um remédio para o ativismo”.

“O Rosário é uma oração contemplativa. E todos necessitamos de mais contemplação, mais oração em nossas vidas. Quando rezamos o Rosário, nossos pensamentos se centram, com uma atenção amorosa, em Jesus, nos mistérios da sua vida, nesse rosto que Deus mostra para cada um de nós”, acrescentou.

“O Rosário abre nossos corações ao plano de Deus, à sua vontade amorosa para a nossa vida. Esta oração nos ensina a escutar e a observar —tal como a Virgem Maria fez— os sinais dos propósitos da obra de Deus na nossa vida diária. Esta oração nos ensina a confiar em Deus e a tentar fazer a Sua vontade em nossas vidas, também a exemplo de Maria”, indicou Dom Gómez.

Dom Gómez propôs levantar uns “15 minutos mais cedo de manhã para que possamos conseguir o tempo que necessitamos para começar o nosso dia com a oração. É obvio, isso significa dormir um pouco mais cedo no dia anterior, apesar de que possamos pensar que ainda temos algum trabalho que ‘deve ser feito’”.

Por outro lado, o Arcebispo de Los Angeles aconselhou que é necessário gerar um equilíbrio entre o trabalho, a oração, o descanso e a recreação e que não se deve rechaçar a tecnologia, nem se afastar das responsabilidades, mas organizar o tempo correspondente para cada atividade.

Publicado originalmente em ACI Digital.

[Leia também: 8 passos simples para trilharmos um caminho de amizade com Deus através da oração]
[Leia também: Como lidar com as distrações durante a oração?]

Comentários

comentários