O dia em que o Sol dançou no céu de Portugal

por -
Domínio Público

Há 99 anos ocorria o “Milagre do Sol”, testemunhado por cerca de 70 mil pessoas nos campos de Cova da Iria, perto de Fátima, Portugal.

A primeira aparição de Nossa Senhora aos pastorinhos aconteceu no dia 13 de maio de 1917, e seguiu assim durante todo dia 13 de cada mês. No entanto, na aparição de julho, a Virgem Maria prometeu-lhes um milagre para o dia 13 de outubro, de modo que todos pudessem acreditar.

No dia prometido, após uma chuva torrencial, as nuvens dissiparam-se no firmamento e o Sol apareceu como um disco opaco, girando no céu, fazendo zigue-zague. Algumas pessoas afirmaram que não se tratava do Sol, mas de um disco em proporções solares, semelhante à Lua. Muitos pensaram que seria o fim do mundo, no entanto, começaram a perceber que muitas curas estavam acontecendo; cegos começaram a enxergar, paralíticos a andar, assim como curas de doenças não explícitas.

O professor de ciências naturais da Universidade de Coimbra, Dr. José Maria de Almeida Garret, conta em depoimento (em 1984) como foi aquele dia: “O céu, que tinha estado encoberto todo o dia, de repente se aclarou; a chuva parou e parecia que o sol ia encher de luz a paisagem que a manhã de inverno tinha tornado tão triste. (…) o sol girou sobre si mesmo num rodopio louco (…) Houve também mudanças de cor na atmosfera (…) O sol, girando loucamente, parecia de repente soltar-se do firmamento e, vermelho como o sangue, avançar ameaçadamente sobre a terra como se fosse para nos esmagar com o seu peso enorme e abrasador (…) Tenho que declarar que nunca, antes ou depois de 13 de outubro, observei semelhante fenômeno solar ou atmosférico”.

Outra testemunha ocular do fato foi Dona Romana de Sousa Marques, que contou sua experiência para a TV Canção Nova de Portugal, que você pode ver no vídeo abaixo.

[Leia também: Quiz: Teste seus conhecimentos sobre as aparições da Virgem Maria em Fátima]
[Leia também: Conheça a aparição mariana mais antiga na história da Igreja]

Comentários

comentários