O que Lúcifer perdeu por orgulho, São Francisco ganhou por sua humildade

Domínio Público

Foi revelado a Frei Pacífico que São Francisco ocuparia o lugar perdido por Lúcifer no Céu.

“Ao amanhecer voltou o irmão Pacífico. O Bem-aventurado Francisco estava em oração ante o altar. O irmão Pacífico o esperou fora do coro, rezando também ante o crucifixo. Começando sua oração, foi elevado e arrebatado ao céu – se com o corpo ou fora do corpo só Deus o sabe -, e viu no céu muitos tronos, entre os quais sobressaía um mais alto, mais glorioso e mais resplandecente que os demais e recamado de toda classe de pedras preciosas. Cativado por sua singular beleza, começou a pensar dentro de si de quem seria aquele local. E no instante ouviu uma voz que lhe dizia: “Este trono foi de Lúcifer, e em seu lugar se sentará nele o humilde Francisco”.

Enquanto saía do êxtase, o Bem-aventurado Francisco saiu fora e se aproximou dele.

O irmão Pacífico, com os braços cruzados no peito, se arrojou aos pés de Francisco. E, considerando-o já sentado no trono que havia visto no céu, soluçava: “Pai, tem piedade de mim e pede ao Senhor que se compadeça de mim e me perdoe os pecados”.

O Bem-aventurado Francisco, dando-lhe a mão, o levantou, conhecendo naquele momento que algo ele havia visto na oração. Aparecia todo transformado e falava ao Bem-aventurado Francisco não como a pessoa vivente, mas como quem reina no céu.

Ato seguido, como não queria revelar a visão ao Bem-aventurado Francisco, começou a proferir palavras inquirindo como de longe, e entre outras coisas, lhe disse: “Que pensas de ti, irmão?”. “Me parece – disse o Bem-aventurado Francisco – que sou o maior pecador de todo o mundo”. E, de pronto, o irmão Pacífico percebeu em sua alma esta voz: “Por aqui podes compreender que é verdadeira a visão que tivestes. Como Lúcifer, por sua soberba, foi arrojado daquele lugar, assim Francisco, por sua humildade, merecerá ser enaltecido e sentar-se nele”

Publicado originalmente na página do Facebook O Vaticano II em Debate: Concílio e Tradição.

[Leia também: São Francisco de Assis e a espetacular lição de humildade]

Comentários

comentários