Quando o Monstro do Lago Ness foi derrotado por um santo católico

por -
Domínio Público

Você pode acreditar ou não que exista um antigo Plessiossauro vivendo no famoso Lago Ness na Escócia, mas se ele não está lá, talvez seja porque foi derrotado por um santo católico no século VI.

As mais antigas menções ao monstro do Lago Ness chegam a nós através da vida de São Columbano. São Columbano é conhecido como um dos Doze Apóstolos da Irlanda; pregou o evangelho, fundou monastérios e ficou conhecido por sua infinidade de milagres. Muito do que sabemos sobre ele chega a nós através de uma biografia escrita no século VII, quase um século depois de sua morte.

Na biografia há um capítulo sobre seus milagres e entre eles há um de título curioso: “Como um monstro aquático foi expulso pela oração deste santo homem” (Capítulo 28).

Columbano estava viajando com alguns companheiros quando chegaram as margens do Lago Ness e notaram que algumas pessoas estavam enterrando um homem morto. Quando perguntaram o que tinha acontecido, explicaram que aquele homem foi assassinado por um monstro marinho.

Sem mostrar o menor pingo de medo, Columbano pediu a um de seus seguidores que fosse nadando até a margem do lago buscar um bote. O homem obedeceu.

Foi nesse momento em que o monstro apareceu:

“Mas o monstro”, explica a biografia, “estava no fundo, próximo a margem, quando sentiu o movimento da água por causa do homem que nadava, de repente apareceu e, com um rugido assustador, se lançou com a boca aberta, enquanto o homem nadava”.

E o que fez o santo?

Ao ver isto São Columbano levantou sua santa mão enquanto todos os outros, irmãos e estrangeiros, estavam aterrorizados; e invocando o nome de Deus, fez o sinal salvador da cruz no ar e desafiou o monstro feroz dizendo: “Não irás mais longe, nem tocará o homem! Retrocede com toda velocidade!“.

E funcionou! “Então, obedecendo a ordem do santo, o monstro saiu assustado, e fugiu mais rápido do que se o tivessem tirado com cordas…”

Wow! Todos, incluindo os pagãos que foram testemunhas do feito, começaram a louvar a Deus por seu imenso poder.

[Leia também: A verdadeira “excalibur” pertenceu a um santo da Igreja Católica]
[Leia também: A emocionante história do menino que deu sua vida para evitar que profanassem a Eucaristía]

 

Comentários

comentários