O dia que o anjo da guarda impediu São Josemaría Escrivá de ser agredido na rua

por -
Créditos: Internet/Reprodução

São Josemaría Escrivá viveu um tempo de muitos conflitos na Espanha, seu país de origem, e não poucas vezes enfrentou situações difíceis por causa do clima de perseguição religiosa contra os cristãos.

Principalmente por ser sacerdote, sofreu repressões e muitas vezes precisou se esconder e celebrar missas em segredo. Certa vez, o santo contou uma história em que quase foi atacado no meio da rua, mas foi salvo graças ao seu… anjo da guarda!

Tudo aconteceu na época em que ele estava morando em Madri, e um dia ao passar pela rua, de repente um homem se aproximou com a clara intenção de agredi-lo. Mas de repente, outro homem colocou-se no meio, protegendo São Josemaría e afugentando o agressor.

Então, o protetor chegou perto do santo e lhe falou baixinho: “Burrinho sarnento, burrinho sarnento”, que era a forma como São Josemaría Escrivá costumava referir-se a si mesmo em sua vida espiritual, e apenas o seu confessor o sabia.

Foi aí então que ele soube que aquele era o seu anjo da guarda!

Por isso, o santo dá a dica: “Ficas pasmado porque o teu Anjo da Guarda te tem prestado serviços patentes. E não devias pasmar; para isso o colocou o Senhor junto de ti”.

Você tem alguma história de como seu anjo da guarda te ajudou?

[Leia também: Minuto heróico? Este conselho de São Josemaría Escrivá pode te ajudar muito!]
[Leia também: Dar nome ao seu anjo da guarda pode abrir brechas ao demônio]