O “pecado eterno”: o verdadeiro significado da blasfêmia contra o Espírito Santo

por -
Créditos: Wikipédia.

O que é a blasfêmia contra o Espírito Santo? A Igreja tem muito claro que “não há limites para a misericórdia de Deus” (CIC 1864).

Jesus Cristo morreu por todos nós, e qualquer um que se arrependa de seus pecados e siga a Cristo pode receber o perdão e uma vida nova.

Então por que Jesus diz no Evangelho que “aquele que blasfema contra o Espírito Santo não tem perdão, pois é réu de um pecado eterno”? (Mc 3, 29). Este é algum tipo de exceção com a qual devemos ter cuidado?

Sim, mas não da forma que você pode estar pensando. E aqui te explicamos a razão.

Primeiro, vejamos o que Cristo diz exatamente. O ensinamento de Nosso Senhor sobre a “blasfêmia do Espírito Santo” é registrado nos três Evangelhos sinóticos.

Em Marcos, Jesus diz: “Todos os pecados serão perdoados aos filhos dos homens, mesmo as suas blasfêmias; mas todo o que tiver blasfemado contra o Espírito Santo jamais terá perdão, mas será culpado de um pecado eterno” (Marcos 3, 28-29). Mateus e Lucas relatam algo parecido.

Como os cristãos devem entender isso?

O Catecismo da Igreja Católica aborda especificamente este ensinamento:

“Não há limites para a misericórdia de Deus, mas quem recusa deliberadamente receber a misericórdia de Deus, pelo arrependimento, rejeita o perdão dos seus pecados e a salvação oferecida pelo Espírito Santo. Tal endurecimento pode levar à impenitência final e à perdição eterna”. (CIC 1864)

Ou seja, o Catecismo diz que a “blasfêmia contra o Espírito Santo” é recusar o perdão de Deus até o final da vida. E é uma blasfêmia porque o Espírito Santo oferece a salvação a cada pessoa.

O Papa São João Paulo II explica isso em sua encíclica sobre o Espírito Santo, Dominum et vivificantem:

“Por que é imperdoável a blasfêmia contra o Espírito Santo? (…) São Tomás de Aquino responde que se trata de um pecado que é ‘imperdoável pela sua própria natureza, na medida em que exclui os elementos através dos quais se produz o perdão do pecado’“.

“Segundo a exegese, a blasfêmia ‘não consiste propriamente em ofender o Espírito Santo com palavras; consiste mais na negativa de aceitar a salvação que Deus oferece ao homem pelo Espírito Santo, realizado pelo poder da Cruz”.

Então devemos ter cuidado para não cometer o pecado de blasfêmia contra o Espírito Santo?

Não no sentido que deveríamos estar preocupados em cometer um pecado tão grave que Deus não pudesse perdoar se nos arrependêssemos. Não existe tal pecado. Se há arrependimento de nossa parte, a misericórdia de Deus sempre poderá nos alcançar.

Mas devemos ter cuidado de recusar o perdão de Deus. Depois da nossa morte, não haverá outras oportunidades. Em sua bondade amorosa, Deus nos ofereceu uma oportunidade de salvação. Devemos nos arrepender humilde e rapidamente de nossos pecados e aceitar o dom gratuito da graça de Deus. Enquanto há tempo.

Espírito Santo, iluminai sempre os nossos passos!

[Leia também: Saiba quais são os quatro pecados que clamam ao céu por justiça]
[Leia também: O dia que o Espírito Santo falou com uma jovem santa no meio da missa]