O quatro “segredos” de São Francisco de Assis que o fizeram virar santo!

por -
Créditos: Wikimedia

São Francisco de Assis é um dos mais amados e populares santos da Igreja Católica. Muitas vezes ele é conhecido por seu cuidado com os animais, mas a vida deste grande homem foi muito mais do que isso!

Ele soube amar e viver o Evangelho em cada momento e situação, e, assim, com estes pequenos “segredos” de amor, podemos imitá-lo no seguimento a Cristo e também ser santos!

[Leia também: 13 Curiosidades sobre São Francisco de Assis]

O quatro “segredos” de São Francisco de Assis que o fizeram virar santo!

1. Amor a Cristo e à Igreja

Ao ter uma experiência pessoal com Jesus Cristo diante de um crucifixo, São Francisco ouviu do Senhor: “vai e reconstrói a minha Igreja”. Este mandato não apenas fez com que o santo reformasse a pequena capela em ruínas em que se encontrava, mas revolucionasse a própria Igreja Católica desde dentro, através de um fiel seguimento do Evangelho.

Deixando tudo para trás, São Francisco abraçou a vida pobre de Cristo e amou-O profundamente; a ponto de se desfazer de suas próprias vestes em praça pública para mostrar que se despojava totalmente da vida velha e passava a ter a Igreja como única mãe e casa.

2. Amor à pobreza

Antes da conversão, São Francisco era um jovem rico que gostava de curtir a vida e esbanjar bens materiais, mas ao decidir seguir a Cristo, entendeu que nada neste mundo é capaz de satisfazer o coração humano além de Deus. Usando um pedaço velho de pano, fez dela sua túnica e deu início a uma nova forma de vida mendicante nas ruas de Assis (hoje a Congregação Franciscana).

Pode ser que não vivamos uma pobreza material tão extrema como São Francisco desejou para si, mas nossa relação com os bens deve ter o mesmo olhar que o santo tinha: estes podem nos ajudar em nossas necessidades, mas rico mesmo é aquele que possui somente Deus em seu coração!

3. Amor aos necessitados

São Francisco confessou que em sua juventude sempre teve repúdio de leprosos, e não ousava se aproximar deles de jeito nenhum, mas após encontrar o amor de Cristo, um episódio na vida dele o marcou profundamente. Ao se deparar com um leproso na rua, sentiu que deveria abraçá-lo como se ali estivesse o próprio Cristo. A partir de então, começou a servir nos hospitais tratando e cuidando deles.

Durante toda a vida, Francisco também ajudou mendigos, doentes, viúvas e até ricos financeiramente, mas que eram vazios do essencial. Atento aos outros, São Francisco soube bem viver como um bom samaritano e amar todos que Cristo ama.

4. Amor à Criação

Como ouvir falar em São Francisco e não lembrar do seu famoso “Cântico da Criação”? Ele amava os animais, a natureza e tudo o que foi criado por Deus, a quem chamava de “irmão” ou “irmã”. Até mesmo a morte, São Francisco chamava de “irmã morte”, pois era quem o levaria para perto de Deus. Ao final da vida, ele passava horas e horas rezando, em êxtase, sob as montanhas de Assis, local onde também recebeu os estigmas de Cristo.

Ao honrar o mundo em que vivemos, reconhecemos a grandeza de Deus Criador e assumimos a responsabilidade de cuidar de tudo, assim como Deus pediu a Adão que fizesse.

São Francisco de Assis, rogai por nós!

[Leia também: São Francisco de Assis e a espetacular lição de humildade]
[Leia também: 3 coisas que Santa Teresinha fazia em seu dia a dia que podem te ajudar a ser santo]
Victoria Arruda é jornalista, ama filmes, livros, música, teologia, política e... pizza. Escreve sobre coisas aleatórias, pra combinar com suas preferências pessoais.