5 coisas que São José tem em comum com José do Egito

por -
Créditos: Internet/Reprodução

Você já percebeu que alguns personagens da Bíblia tem fatos em suas vidas que nos fazem lembrar de outros? 

Essas “coincidências” na verdade existem para mostrar que Deus sempre falou e se revelou de diversas formas na história para preparar seu povo para a vinda de Jesus, o tão esperado Messias.

Assim, São José, pai adotivo de Jesus, e o patriarca José, que foi muito importante para o povo hebreu, são algumas dessas pessoas em que podemos encontrar alguns pontos em comum. E é interessante que todos os fatos do Antigo Testamento remetem ao que, mais tarde, aconteceria por causa de Cristo.

Confira as 5 coisas que eles têm em comum:

1) Mesmo nome

Em Gn 30, 24 encontramos o relato de quando Jacó teve outro filho com uma de suas mulheres, Raquel “e o chamou José, dizendo: Que o Senhor me conceda outro filho”.

Já o evangelista Mateus conta que “Maria, sua mãe, estava prometida em casamento a José” (1,18).

2) Seus pais (também!) se chamavam Jacó

Ainda em Gênesis 30,28, vemos que “Depois que Raquel deu à luz José, Jacó disse a Labão: deixa-me partir para meu lugar, minha terra”.

E a genealogia de Jesus diz que “Jacó foi o pai de José, o esposo de Maria, da qual nasceu Jesus, que é chamado o Messias” (Mt 1,16).

3) Deus falou com eles através de sonhos

Certo dia, José teve um sonho profético e contou a seus irmãos, que não ficaram nada felizes com o que isso poderia significar. Então “José disse-lhe: ‘Ouvi o sonho que tive: estávamos ligando feixes no campo, e eis que o meu feixe se levantou e se pôs de pé, enquanto os vossos o cercavam e se prostravam diante dele’” (Gn 37, 5-11). Isso fez com que os irmãos decidissem vendê-lo como escravo, com medo que isso acontecesse no futuro.

Também São José, diante da gravidez de Maria, pensou em abandoná-la, mas… “Enquanto assim pensava, eis que um anjo do Senhor lhe apareceu em sonhos e lhe disse: ‘José, filho de Davi, não temas receber Maria por esposa, pois o que nela foi concebido vem do Espírito Santo”. (Mt 1,2-22)

4) Os dois eram justos e castos

José foi vendido pelos irmãos e virou escravo no Egito. E como diz em Gn 39,6 que ele era “bonito de rosto e de corpo”, acabou atraindo a atenção da esposa do seu senhor, que queria dormir com ele. Mas ele afirmou “Como poderia eu cometer um tão grande crime e pecar contra Deus?” (Gn 39, 9). Após fugir das investidas dela, ele acabou indo para a prisão por uma armadilha feita para acusá-lo.

São José também era um homem muito temente a Deus e justo, então, ao descobrir que Maria estava grávida de um filho que não era seu, não quis denunciá-la publicamente e “pensava em deixá-la, sem ninguém saber” (Mt 1,19).

5) Ambos levaram suas famílias para o Egito para salvá-las

Em um tempo de grande seca na região onde a família de José morava, ele, que nesta época tinha grande prestígio no Egito, conseguiu uma permissão do faraó para levar toda a sua família para lá, onde não mais passariam fome.

Após o nascimento de Jesus, houve uma grande perseguição por parte do rei, que causou a morte de todos os meninos com menos de dois anos. Por isso, “um anjo do Senhor apareceu em so­nhos a José e disse: ‘Levanta-te, toma o menino e sua mãe e foge para o Egito; fica lá até que eu te avise, porque Herodes vai procurar o menino para o matar”. (Mt 2, 13).

Muito legal!

[Leia também: As razões pelas quais São José queria abandonar a Virgem Maria mas desistiu]
[Leia também: 6 estranhas histórias bíblicas que não te contaram na Catequese]
Victoria Arruda é jornalista, ama filmes, livros, música, teologia, política e... pizza. Escreve sobre coisas aleatórias, pra combinar com suas preferências pessoais.