5 mitos sobre a infabilidade papal que muitas pessoas ainda acreditam (talvez até você)

por -
Lawrence OP, Flickr, CC BY-NC-ND 2.0

Existem poucas coisas mais “católicas” no Catolicismo do que o Papa, especialmente quando o assunto é a infabilidade papal. Infelizmente, também é um assunto muito mal interpretado.

Aqui estão 5 mitos comuns sobre a infabilidade papal:

Mito 1: O Papa nunca está errado

Verdade: A infabilidade papal significa que o Papa é infalível em relação a alguns ensinamentos, e não que ele é infalível em todos os momentos e sobre tudo o que ensina. Ele é infalível quando está exercendo o ofício petrino, e intencionalmente ensinando sobre coisas definitivas para a Igreja Católica. É raro os papas invocarem esta autoridade.

Mito 2: O Papa nunca peca

Verdade: A infabilidade papal se aplica apenas para a Doutrina, não para a santidade do pontífice. Como nosso atual Papa Francisco humildemente gosta de dizer, o Papa é um pecador necessitado da graça de Deus e se confessa como qualquer outra pessoa.

Mito 3: O Papa pode criar novas doutrinas

Verdade: Na verdade, a Igreja Católica ensina que a Revelação Divina terminou com a morte do último apóstolo (por conta da transmissão dos ensinamentos de Cristo). A única coisa que o Magistério da Igreja, que inclui o Papa, pode fazer é defender, explicar e esclarecer a Palavra de Deus. O Papa não é capaz de revelar “novas” verdades, apenas interpretar corretamente o que Deus já revelou.

Mito 4: É uma invenção moderna

Verdade: Sim, de fato a infabilidade papal tornou-se dogma no século XIX, mas sempre foi algo em que a Igreja acreditou. Você pode ver o que diziam os Padres da Igreja já no século II, nos escritos de Santo Irineu (Contra as heresias, III.3).

Mito 5: Não está na Bíblia

Verdade: Jesus disse a Pedro que ele era a “pedra” na qual Ele construiria a Sua Igreja, e que “as portas do inferno não prevaleceriam sobre ela” (Mt 16). Se a Igreja é construída em Pedro (de quem o Papa é sucessor), e a Igreja não pode falhar, então significa que o Espírito Santo não deixará o papado falhar. Esta é a essência da infabilidade papal.

O que mais você teria para acrescentar nessa lista? Comente!

Comentários

comentários