Ativistas LGBT e pró-aborto constrangem seleção feminina de futebol do Vaticano

    por -
    Via Twitter

    Em março desse ano o Vaticano passou a contar com uma equipe de futebol feminino. E essa semana seria sua estréia internacional, porém, algo bastante constrangedor impediu que o jogo acontecesse.

    A partida seria contra o FC Mariahilf, da Áustria, e aconteceria na cidade de Viena. Entretanto, no momento em que começou a tocar o hino do Vaticano, três jogadoras e torcedores do time austríaco começaram um protesto a favor do aborto e pró-LGBT.

    Reprodução Twitter

     As jogadoras levantaram a blusa e em suas barrigas havia desenhos de ovários e mensagens pró-aborto. Ao mesmo tempo, trocaram as bandeirinhas do escanteio com as cores do arco-íris, da mesma forma que tinha no muro escrito nome do time. A torcida começou a levantar faixas e distribuir folhetos pró-aborto aos jornalistas.

    No mesmo momento as jogadoras do Vaticano retiraram-se de campo. Danilo Zennaro, representante da Santa Sé contou a uma rede de TV austríaca o porquê das jogadoras terem saindo do gramado: “A seleção não disputará a partida porque estamos aqui pelo esporte, não para receber mensagens políticas ou de outra natureza”.

    Jogadoras do Vaticano – Via Twitter
    [Leia também: “É o meu corpo”: como o aborto é contrário a Eucaristia]

    Comentários

    comentários