CNBB oferece educação e apoio psicológico à menina de 10 anos que foi estuprada

por -
Créditos: Divulgação

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), na pessoa do presidente e Arcebispo de Belo Horizonte (MG), Dom Walmor Oliveira de Azevedo, ofereceu apoio psicológico e educação integral à menina de 10 anos que foi estuprada pelo tio. A garota, que estava grávida de quase 6 meses, também foi submetida a um aborto na semana passada.

No ofício, endereçado à Promotoria da Infância e da Juventude de São Mateus (ES), cidade onde mora a menina e sua família, Dom Walmor coloca a Igreja Católica no Brasil à disposição “para, graciosamente, oferecer educação integral a essa menina, garantindo-lhe preservação da identidade, acompanhamento psicopedagógico especializado, no horizonte do humanismo cristão“.

O presidente da CNBB também condenou o crime cometido contra a criança, que “expõe misérias humanas e existenciais”, e se colocou à disposição para ajudar da melhor forma a minimizar as consequências deste sofrimento e para que ela possa ter um futuro melhor.

“Também estamos sensíveis à situação da família, abertos ao diálogo com a Promotoria, para auxiliar no que for necessário”.

A CNBB também enviou a Dom Paulo Bosi Dal’Bó, bispo da Diocese de São Mateus (ES), um ofício com a proposta de educação e acompanhamento psicológico da menina, para ser enviado ao Ministério Público do Espírito Santo. O documento já foi protocolado na Promotoria de Justiça da Infância e da Juventude da Comarca de São Mateus.

Apesar da garota e sua família morarem no Espírito Santo, a CNBB garantiu que a oferta vale para todo o território nacional, em caso da família decidir ou precisar se mudar. Todos os benefícios serão dados de forma total e gratuita.

Rezemos pela menina e por sua família!

[Leia também: Bebê de menina de 10 anos foi abortada]
[Leia também: Presidente da CNBB lamenta caso e diz: “A violência sexual é terrível, mas a violência do aborto não se explica”]