O que é o grande mistério da Santa Missa?

por -
Pixabay

O santo Sacrifício da Missa é a principal forma dos cristãos cultuar o seu Deus. Através dela se recebe as graças necessárias para bem viver a luta contra os pecados e o perdão dos pecados veniais; manter a comunhão profunda com Deus, com os irmãos e irmãs. Através do Santo Sacrifício também pode-se aplacar a ira divina, festejar a glória de Deus em Jesus Cristo, na Virgem Maria e nos Santos; também podemos levar as almas do purgatório para o céu, sem esquecer que vivenciamos o milagre de antever o gozo do céu.

Esta foi instituída pelo próprio Deus, Jesus Cristo, na última ceia, como uma forma de se mantar presente e vivo o santo sacrifício da cruz que Ele iria realizar, tornando-o perpétuo, em pró da salvação da humanidade que havia caído no pecado e estava impedida de entrar no Reino de Deus. Ao derramar Seu sangue, Jesus expiou de uma forma definitiva toda culpa, pagou toda dívida, enxugou todo o pranto, alvejou toda veste, purificou tudo que estava impuro, santificou todos que caíram no pecado. A partir desse sacrifício, temos a excelsa escolha: abraçar o Reino de Deus (pelo batismo, a vivência dos sacramentos e a fuga do pecado) ou o reino de Satanás (vivendo conforme nossas vontades, sem arrependimento).

Na Missa revivemos esse momento de Salvação. O Corpo de Deus e Seu Sangue são separados, ou seja, há imolação, assim mesmo que de forma incruenta (sem dor) acontece a morte da Vitima, Nosso Senhor Jesus Cristo. Dito isto, podemos afirmar que a Missa é a celebração e a Memória da Morte de Jesus na Cruz. Com a morte de Cristo, celebramos sua gloriosa Ressurreição, mas isso não faz da Missa uma “festa”, mas sim momento de grave adoração e contemplação da glória de Deus, o que é uma “festa”, mas não como a concebemos.

Assim, o Domingo se tornou o principal e mais importante de todos os dias, o dia em que os cristãos se reúnem para celebrar seu Deus morto e ressuscitado, fazer memória dos heróis da fé e fazer comunhão com o Senhor no banquete da Eucaristia. Também é um momento de convívio fraterno com os irmãos, de descanso e alegria para toda a comunidade. Ou seja, não ir a Santa Missa aos domingos é pecado mortal, pois atinge diretamente o terceiro mandamento da lei de Deus: “Guardar domingos e festas”.

São Pio de Pietrelcina dizia que devemos participar da MissaComo assistiram a Santíssima Virgem e as piedosas mulheres. Como assistiu S. João Evangelista ao Sacrifício Eucarístico e ao Sacrifício cruento da Cruz.” Dizia também que “na Missa, contemplamos o Calvário”.

[Leia também: O que pensavam os santos sobre a Santa Missa?]

Comentários

comentários

Bruno Loura

Bruno Loura é seminarista da arquidiocese do Rio de Janeiro é historiador formado pela UFRRJ, e estuda filosofia na PUC RJ.