É verdade que a Igreja condena o capitalismo?

por -
Pixabay

Seguindo as formações na página do Facebook O Vaticano II em Debate: Concílio e Tradição sobre a Doutrina Social da Igreja (DSI), hoje compartilharemos um texto que fala sobre a relação entre a Igreja e o capitalismo.

Vamos entender realmente qual é a posição da Igreja em relação ao Capitalismo? Antes de iniciarmos faremos alguns apontamentos básicos.

– Mesmo em sistemas socialistas, existe sim uma espécie de Capitalismo, o Capitalismo é praticamente inseparável da realidade atual.

– A Igreja faz distinções entre o Capitalismo e o Liberalismo (algo semelhante ao que ela chama de Capitalismo Selvagem).

– Até mesmo outras propostas mais de acordo com a Moral Católica como a Social Democracia ou Distributivismo, tem fundo Capitalista.

Feito estes apontamentos, vamos então compreender o que a Igreja diz em relação ao capitalismo.

Para a DSI o Capitalismo é tolerável, desde que amparado por um fundo legislativo mínimo, que lhe garanta sustentação, um capitalismo totalmente livre pode abrir brechas para abusos. Neste sentido, o capitalismo se distância do Liberalismo (se bem que a Igreja lhe garanta liberdade e só fale que o Estado deve interferir na Economia em situações um pouco mais críticas), pois o Liberalismo Austríaco defende que o Mercado por si só pode resolver todos os seus problemas particulares em um sistema de oferta e procura.

Portanto não podemos confundir, como certos palpiteiros fazem, a posição da Igreja em relação ao Socialismo que é por si mesmo condenável, com a do capitalismo, que é aceitável com restrições.

Vários são os Papas que manifestaram esta posição. Aliás desde o surgimento do Capitalismo enquanto tal, todos os Papas que se manifestaram sobre ele, manifestam-se no mesmo sentido. Pio XI na Quadragésimo Ano diz que o Capitalismo não é condenado de PER SI. O Papa São João Paulo II, fala que precismos distinguir um Capitalismo Liberal de um Capitalismo de Mercado, ele diz que o Capitalismo de Mercado pode ser aceito, se bem que é aconselhável mudar o nome para Economia de Mercado, economia de empresa ou economia Livre.

O Compêndio do Catecismo da Igreja Católica no seu número 512 aponta certas coisas que contradizem a DSI, fala do socialismo e comunismo por si próprios, e fala sobre certas PRÁTICAS DO CAPITALISMO, ou seja, certas práticas não significa o Capitalismo em si, mas a maneira como alguns o utilizam. Por fim, até mesmo o Papa Francisco recentemente reiterou que o Capitalismo não é diabólico em si mesmo.

Para finalizar este post, deixo na íntegra a referida fala do Papa Francisco sobre o Capitalismo:

“O CAPITALISMO E O PROVEITO NÃO SÃO DIABÓLICOS SE NÃO SE CONVERTEM EM ÍDOLOS, SE FOREM MANTIDOS APENAS COMO INSTRUMENTOS. Mas, pelo contrário, quando predomina a ambição fruto do dinheiro, se o bem comum e a dignidade dos seres humanos passam a um segundo ou terceiro plano, se o dinheiro é tirar vantagem a qualquer custo, se transformam em caprichos de adoração, se a ambição estiver na base de nosso sistema social e econômico, desta forma, nossas sociedades estarão sendo arruinadas. Os homens e a criação inteira não devem estar ao serviço do dinheiro: as consequências do que pode acontecer estão ante os olhos de todos!” Publicado pela revista francesa Paris Match.

[Leia também: Jesus foi o primeiro socialista?]
[Leia também: 5 razões para um católico não aderir ao liberalismo]