Imagem de Nossa Senhora de Fátima viajará para a Ucrânia em plena guerra

por -
Créditos: wizz

Uma réplica da imagem de Nossa Senhora de Fátima viajará diretamente do Santuário em Portugal para Lviv (Ucrânia) passando por Cracóvia (Polônia). O transporte da estátua foi solicitado pelo arcebispo greco-católico de Lviv Ihor Wozniak.

“Com a Mãe encontramos refúgio nos momentos de dificuldade. É por isso que vos queremos dirigir um apelo à paz”, disse o reitor do Santuário de Fátima, padre Carlos Cabecinhans.

[Leia também: Papa Francisco anuncia que consagrará Rússia e Ucrânia ao Imaculado Coração de Maria]

Imagem de Nossa Senhora de Fátima viajará para a Ucrânia em plena guerra

Pe. Carlos lembrou ainda que “a oração pela paz é missão de Fátima”, e que “todos os dias são feitos pedidos no Santuário para acabar com a guerra e converter a Rússia”.

Por isso, a viagem da imagem de Nossa Senhora de Fátima busca “ajudar os ucranianos a encontrar esperança e apoio em Deus”.

A estátua será primeiro transportada de Lisboa para Cracóvia, onde será acolhida e levada para a Ucrânia pela comunidade greco-católica de Kiev. Esta é a décima terceira réplica feita de acordo com as instruções da Irmã Lúcia. A consagração da primeira imagem peregrina de Nossa Senhora de Fátima ocorreu em 1947.

A imagem peregrina

A ideia da peregrinação da imagem nasceu logo após o fim da Segunda Guerra Mundial. Um pároco de Berlim sugeriu então que a imagem de Nossa Senhora de Fátima visitasse todas as capitais e cidades europeias.

A estátua original percorreu 64 países em vários continentes por mais de 50 anos. Mais tarde, as autoridades do Santuário decidiram que a imagem não deveria sair de Fátima com tanta frequência, apenas em casos excepcionais.

As réplicas da primeira imagem serviam para agilizar as visitas da imagem de Nossa Senhora de Fátima e responder a todos os pedidos de todo o mundo.

Nossa Senhora de Fátima, rogai por nós e pelo fim da guerra!

[Leia também: A alarmante profecia da Virgem numa suposta aparição na Ucrânia em 1987]
[Leia também: Ucranianos estão vendo “anjos luminosos” sobre o país, diz arcebispo greco-católico]