Não tomarás o nome do Senhor em vão: a blasfêmia ainda é um pecado!

por -
Domínio Público, Wikipedia / ChurchPOP

Como a balsfêmia se tornou um pecado esquecido?

O nome de Deus é sagrado. Mesmo que a sociedade ocidental não leve mais a sério, a blasfêmia ainda é um pecado – e gravíssimo!

O segundo dos Dez Mandamentos afirma claramente: “Não tomarás o nome do Senhor teu Deus em vão; por que o Senhor não terá por inocente o que tomar o seu nome em vão.” (Êxodo 20, 7).

Veja como o Catecismo explica isso:

“A deferência para com o seu nome exprime a que é devida ao mistério do próprio Deus e a toda a realidade sagrada que ele evoca. […] O segundo mandamento proíbe o abuso do nome de Deus, isto é, todo o uso inconveniente do nome de Deus, de Jesus Cristo, da Virgem Maria e de todos os santos. ”(CCC 2144, 2146).

Uma forma de quebrar esse mandamento é a blasfêmia, que o Catecismo define como

Uma forma de quebrar esse mandamento é a blasfêmia , que no Catecismo “consiste em proferir contra Deus – interior ou exteriormente – palavras de ódio, de censura, de desafio; dizer mal de Deus; faltar-Lhe ao respeito nas conversas; abusar do nome d’Ele.” (CCC 2148). Como resultado, o Catecismo conclui que“ é em si um grave pecado ”.

Como acontece com todos os pecados, uma pessoa pode receber o perdão se arrependida confessar seu pecado. Mas isso significa que a pessoa reconhece que o que fez está errado e resolve não cometer mais o pecado.

Que comece a partir de nós católicos o respeito e o zelo pelo Sagrado. Porque o uso casual do nome de Deus está em toda a sociedade e nem é percebida a seriedade do fato.

Ou seja, precisamos nos arrepender de nossos pecados, e então, amorosa e oportunamente, avisar aos outros!

[Leia também: O que é e quando estamos pecando contra o Primeiro Mandamento?]

Comentários

comentários