Noite Feliz: Como um padre criou a canção de Natal mais amada de todos os tempos

Capela da Noite Silenciosa, Gakuro, CC-BY-SA-3.0 ou CC BY-SA 2.5 , Wikimedia Commons / Schmeissnerro, CC BY-SA 4.0 , Wikimedia Commons

Faz aproximadamente 200 anos desde que a melodia de Noite Feliz foi escrita. Que incrível!

Uma das mais queridas músicas de Natal de todos os tempos surgiu de forma inesperada, mas inteligente, tudo por causa de um órgão que não estava funcionando direito.

Aqui está a história:

Em 23 de dezembro de 1818, o Pe. Joseph Mohr, pastor assistente da Igreja Católica de São Nicolau em Oberndorf, Áustria, assistiu a uma peça de Natal feita por um grupo de atores.

A peça deveria acontecer na igreja, mas foi transferida para a casa de outra pessoa porque o órgão da igreja não estava funcionando.

Depois da peça, Pe. Mohr voltou para casa, contemplando o relato bíblico da história do nascimento de Jesus. Dessa vez, ele pegou uma rota alternativa, chegando ao topo de uma colina com vista para sua aldeia coberta de neve.

A serena vista da aldeia o fez lembrar de um poema que ele havia escrito dois anos antes sobre o Menino Jesus. A lenda conta que isso o inspirou a transformar o poema em música, pensando que poderia virar uma boa canção para a sua Congregação na véspera de Natal.

Então ele foi até o organista da paróquia, Franz Xaver Gruber. Como o órgão não estava funcionando, o poema precisou ser composto para o violão. Gruber criou a melodia em algumas horas e eles a cantaram pela primeira vez em 24 de dezembro de 1818 na Igreja Católica de São Nicolau.

Após consertar o órgão, algumas semanas depois, Karl Mauracher, um conhecido construtor de órgãos, pediu a Gruber para testá-lo. Ele tocou Noite Feliz, e Mauracher gostou tanto que a levou à sua aldeia de Kapfing.

Como resultado, os Rainers e os Strassers, que eram conhecidos cantores de família na época, ouviram a música e também amaram.  Eles a adicionaram às suas apresentações de Natal, e ela se espalhou por toda a Europa.

Em 1834, as Irmãs Strasser tocaram a música para o rei Frederico William IV da Prússia. Ele então pediu que fosse tocada todos os anos pelo coro da catedral na véspera de Natal.

Os cantores Rainer levaram a música para os Estados Unidos vinte anos depois, cantando-a em alemão no Monumento Alexander Hamilton em Nova York.

A música se espalhou pelo mundo inteiro, e hoje é uma das canções mais amadas do Natal.

Comentários

comentários