O médico “campeão de abortos”que se converteu após ser visitado por São Tomás de Aquino em sonho

por -
Créditos: CatholicRadioTVNet, YouTube/Lawrence OP, Flickr

A história deste médico abortista é inacreditável!

O jornal espanhol “La Razón” publicou há alguns anos um artigo sobre a conversão pró-vida de um ex-defensor do aborto.

Stojan Adasevic, que realizou mais de 48 mil abortos, chegando a fazer até 35 por dia, tornou-se o líder pró-vida mais importante da Sérvia, depois de 26 anos como o médico de abortos mais conhecido do país.

A incrível conversão do médico abortista graças a São Tomás de Aquino

“Os livros de textos médicos do regime comunista diziam que o aborto era simplesmente uma eliminação de um pedaço de tecido”, informou ao jornal. E mesmo depois do advento dos ultrassons em meados dos anos 80, que permitiam ver o feto, sua opinião não mudou. No entanto, começou a ter pesadelos.

Ao descrever a sua conversão, Adasevic diz que “sonhou com um lindo campo cheio de crianças e jovens de 4 a 24 anos de idade que brincavam e riam, mas que fugiam dele com medo“. Um homem vestido com um hábito branco e preto o olhou em silêncio. O sonho se repetia todas as noites e ele despertava suando frio.

Em uma determinada noite, ele perguntou ao homem de hábito quem ele era. “Meu nome é Tomás de Aquino”, respondeu o homem no sonho. Médico abortista e educado em escolas comunistas, nunca havia ouvido falar do santo dominicano.

“Por que você não me pergunta quem são essas crianças”, disse São Tomás a Adasevic.

“São os que tu mataste com teus abortos”, disse-lhe São Tomás.

“Adasevic então acordou assustado e decidiu não mais realizar abortos”, conta o artigo.

“Naquele mesmo dia, porém, um primo foi ao hospital com sua namorada grávida de quatro meses, querendo fazer seu nono aborto, algo frequente nos países do bloco soviético da época. O doutor concordou. E ao invés de extrair peça por peça, decidiu cortá-lo e eliminá-lo de uma só vez. No entanto, o coração do bebê ainda saiu batendo. Adasevic se deu conta, então, que acabara de matar um ser humano“.

Depois desta experiência, Adasevic, que era um grande médico abortista, disse ao hospital que não realizaria mais abortos. “Reduziram seu salário pela metade, demitiram sua filha de seu trabalho e não permitiram com que seu filho ingressasse na universidade”.

Após anos de pressão, e a ponto de voltar atrás, teve outro sonho com São Tomás. “És meu bom amigo, siga adiante”, disse ele. Adasevic se engajou no movimento pró-vida e conseguiu com que a televisão iugoslava transmitisse o filme “O grito silencioso”, do Dr. Bernard Nathanson duas vezes.

Rezemos pela conversão de todos aqueles que defendem e praticam abortos!

Foi originalmente publicado em Catholic News Agency.

[Leia também: São Padre Pio advertiu que o aborto era um suicídio da raça humana]

Comentários

comentários