O monge beneditino do século VIII que acidentalmente inventou o Dó-Re-Mi

por -
Public Domain, Wikipedia / Movieclips, YouTube

Tantas coisas legais vieram dos católicos. Esse é apenas mais um exemplo.

Você provavelmente já ouviu a canção do musical “A Noviça Rebelde” chamada “Dó-Re-Mi”. Essa música é baseada em algo chamado solfège, no qual cada nota em uma escala musical recebe uma palavra, isto é, dó, ré, mi, fá, sol, lá, si e depois recomeça.

Mas de onde veio este sistema? Bem, tudo indica, ao menos por uma teoria conhecida, que veio de um hino católico escrito por um monge beneditino no século 8!

Aqui está a história:

No século VIII, um monge beneditino italiano chamado Diácono Paulo compôs o hino latino “Ut queant laxis” em honra a São João Batista.

Algumas centenas de anos depois, na Itália do século XI, o teórico musical Guido de Arezzo criou uma versão inicial do sistema solfège para nota mística baseada na letra do hino do Diácono Paulo. Isso acontecia porque a medida que a melodia subia na escala, uma certa palavra-chave ou sílaba aparecia subindo em notas sucessivas.

Aqui está a letra com as palavras-chave em negrito: “Ut queant laxīs resonāre fībrīs ra gestōrum famulī tuōrum, Solve pollūtī labiī reātum, Sancte Iōhannēs”.

Daí se tem: ut, ré, mi, fá, sol, lá.

Na Itália do século XVII, o musicólogo Giovanni Battista Doni mudou “ut” para “dó” porque era mais fácil de cantar e também por ser a primeira sílaba do seu nome. Ele também pegou as primeiras letras das últimas duas palavras para fazer “si” e completar a escala.

O que nos leva ao sistema moderno: dó, ré, mi, fá, sol, lá, si!

 O que mais lhe surpreendeu? Escreva nos comentários!

[Leia também: Não pode viver sem café? Então agradeça a este Papa.]

Comentários

comentários