Quando o demônio sentiu a presença real e santa de Jesus na Eucaristia

Créditos: The Last Supper/ Leonardo da Vinci

Os católicos precisam participar da Santa Missa ao menos aos domingos para cumprir o preceito e unir-se a Deus por meio da Palavra e da Eucaristia. Com tantos compromissos e distrações, somos tentados a faltar o Santo Sacrifício e não damos tanto valor como deveríamos.

Você tem consciência que o mesmo Jesus que andou sobre as águas, que curou cegos e paralíticos, que morreu na cruz e ressuscitou vem até você, em todo Corpo, Sangue, Alma e Divindade para estar com você? Você dá valor?

Tão real é a presença santa de Cristo na Eucaristia que até Satanás entende! O Monsenhor Stephen Rossetti, em seu blog Diário de um Exorcista, contou um impressionante relato de uma pessoa possessa ao participar da Missa, e a impactante reação dos demônios ao entrar em contato com a Santa Eucaristia. Confira!

[Leia também: Exorcista revela pequena oração que faz os demônios fugirem instantaneamente]

Quando o demônio sentiu a presença real e santa de Jesus na Eucaristia

“Normalmente é muito difícil conseguir que uma pessoa totalmente possuída vá à Missa. Sempre que encorajamos a pessoa, ela sente uma repulsa sobrenatural à Eucaristia. “K” não foi exceção. Não conseguimos fazê-la ir sem praticamente arrastá-la para dentro da Igreja. E então, sentar-se durante toda a Missa foi doloroso, se não impossível.

Depois de meses de exorcismos, ela estava muito melhor, mas levá-la para a capela ainda era uma luta grande. Finalmente, conseguimos agendar uma missa particular para ela, seu pai e seu tio. Durante três dias antes da missa marcada, ela se manifestou quase constantemente. Os demônios sabiam o que estava planejado e foram balísticos.

Eles manipularam ela e todo mundo, tentando sabotar o evento, mas ninguém se mexeu.

Quando chegou o dia, sua família, não tão sutilmente, quase a arrastou para dentro da capela. Ela estava sentada entre dois grandes membros da família que a mantinham no lugar. Então começou a missa. À medida que a missa avançava, ela continuava gritando: “Você está me matando!” Ela disse que seu estômago doía e ela se sentia enjoada. Ela engasgou muitas vezes. Tínhamos um balde por perto e ela cuspiu uma espuma branca nele. Quando o Evangelho foi lido, ela reagiu com violência. (Devo admitir que foi difícil me concentrar.)

Então, chegou a hora da comunhão. Depois de muita persuasão e finalmente uma ordem de seu pai, ela abriu a boca. Quando me aproximei com a Hóstia Sagrada, ela gritou: “Você está me queimando!” Eu coloquei a hóstia em sua boca. Ela se debateu e tentou cuspir, mas seu pai manteve sua boca fechada. Mais tarde, ela disse que a hóstia tinha gosto de “cinzas”.

Terminada a missa, ela voltou a si. Ela disse que os demônios se foram (pelo menos temporariamente) e ela estava em paz. Ela riu, brincou e sorriu.

Satanás, sem querer, testemunha tudo o que é santo. Ele se contorce quando aspergido com água benta; ele se encolhe ao ver um crucifixo abençoado; mas ele grita decisivamente ao entrar em contato com a Eucaristia.

Nós, por nossa parte, também testemunhamos a santidade da Eucaristia. Ajoelhamo-nos diante da Eucaristia reservada no tabernáculo; adoramos a presença de Jesus durante a adoração eucarística; recebemos o Corpo e o Sangue de Jesus na Missa com grande reverência.

Como escreveu São Tomás: Quão abençoados somos por receber o “pão dos anjos!” (Panis Angelicus)”

Meu Senhor e meu Deus, eu creio, mas aumentai a minha fé!

[Leia também: Exorcista explica por quê um demônio nunca ousa entrar em uma igreja católica]
[Leia também: Padre recomenda bênção do lar: “Os demônios odeiam e sentem repulsa”]
Victoria Arruda é jornalista, ama filmes, livros, música, teologia, política e... pizza. Escreve sobre coisas aleatórias, pra combinar com suas preferências pessoais.