A verdadeira “excalibur” pertenceu a um santo da Igreja Católica

por -
Louis-jardim / Wikimedia Commons

Você com certeza assistiu o filme da Disney quando criança. Provavelmente também leu o livro. Mas você sabia que esta história é baseada em uma história real?

A história do Rei Arthur, Merlin e todo o resto pode não ser verdade, mas realmente, há centenas de anos, existiu uma espada na rocha.

Na cidadezinha italiana de Chiusdino, há uma pequena capela perto de São Galgano Abbey conhecida como Capela Montesiepi. E dentro dela você encontrará uma grande rocha com o cabo de uma espada saindo.

Como ela foi parar lá? Bem, a história é que no século XII havia um cavaleiro chamado Galgano Guidotti que no fim da sua vida, decidiu retirar-se e viver como eremita. Ele teve duas visões místicas: na primeira, o Arcanjo Miguel disse que o protegeria pessoalmente; e na segunda, encontrou os doze apóstolos e o próprio Deus.
Depois de terminar a segunda visão, decidiu colocar uma cruz naquele lugar. Como não tinha outro material, ele fincou sua espada no chão, formando ali uma cruz. Imediatamente o chão endureceu ao redor da espada e está lá presa desde então.

Apenas quatro anos depois de sua morte, o Papa Lúcio III iniciou formalmente o processo de canonização que terminou com Guidotti sendo declarado um santo – a primeira pessoa a ser declarada santa por um processo formal da Igreja Católica Romana.

Aparentemente, “incontáveis pessoas tentaram roubar a espada. É possível ver na capela o que dizem ser mãos mumificadas de um ladrão que tentou roubar a espada, mas foi abatido por lobos selvagens.

Embora a espada esteja na Itália, muitas pessoas acham que ela influenciou a inglesa Lenda do Rei Arthur.

Aqui está a imagem da espada na pedra:

Alexmar983 / Wikimedia Commons
Alexmar983 / Wikimedia Commons

Veja o que o exterior da capela parece:

Adrian Michael / Wikimedia Commons
Adrian Michael / Wikimedia Commons

E aqui está uma foto de dentro da capela:

Louis-jardim / Wikimedia Commons
Louis-jardim / Wikimedia Commons

Comentários

comentários