A Reencarnação é compatível com a fé cristã?

por -
Créditos: Domínio Público

A reencarnação é uma doutrina que se popularizou por causa do Espiritismo e também por várias outras religiões. Mas o que ela diz exatamente? Pode um católico acreditar nela? Dom Henrique Soares da Costa explica em seu livro Escatologia como esta crença está em desacordo com a nossa fé.

[Leia também: Oração pedindo a beatificação de Dom Henrique é aprovada; veja como rezar]

Entenda:

“Se olharmos a Sagrada Escritura, veremos que aí não existe, nem ao longe, a ideia de reencarnação. Para o povo judeu, bem como para todos os povos semitas, o homem é um todo inseparável: corpo e alma. A Bíblia jamais imagina o homem como sendo um espírito que vive preso num corpo! Na Bíblia, a ideia é outa: eu sou meu corpo; eu sou minha alma.

No Antigo Testamento, quando ainda se aguardava o Salvador, os judeus acreditavam que todos os mortos iam para o Sheol, a morada dos mortos, até o dia da ressurreição, quando o Messias viesse. Ressurreição é do homem todo, corpo e alma!

No Novo Testamento, com a Ressurreição do Senhor Jesus, já não há mais o Sheol do Antigo Testamento: todos os que morremos no Senhor, ressuscitaremos no Senhor e como o Senhor – em corpo e alma. Jesus ressuscitado não é um fantasma: Ele come, bebe, pode ser tocado! Ele é o modelo e o princípio da nossa ressurreição.

É claro, portanto, que a Escritura nem sonha com esta ideia de reencarnação; nem mesmo se dá ao trabalho de combatê-la, condená-la, pois os judeus nem a conheciam! É interessante, no entanto, citar um texto da Epístola aos Hebreus que, de passagem, fecha qualquer porta para a reencarnação: “Para os homens está estabelecido morrerem uma só vez e logo em seguida virá o juízo” (9, 27). Como se vê, a Escritura é clara: morrer uma só vez e depois comparecer diante do Cristo juiz. Nada de voltar, nada de karma, nada de reencarnação!

Há um risco muito grande no cristão acreditar em reencarnação; pois ele pensa, enganosamente, que poderá voltar a esta vida e poder, então, reconquistar a salvação que perdera na vida original, o que não acontece. Portanto, é um engano muito perigoso.

Mas, há ainda mais. Caso houvesse reencarnação, Cristo não teria utilidade nenhuma e o Novo Testamento estaria completamente enganado. A mensagem central do cristianismo é que Cristo morreu pelos nossos pecados: fomos salvos gratuitamente, sem merecimento nosso, graças ao Cristo que por nós morreu e ressuscitou.

O homem, por si mesmo, não pode se purificar nem merecer a salvação: é somente pela graça que nos é dada em Cristo que podemos ser salvos! (…) Não se pode crer, ao mesmo tempo, na reencarnação e na ressurreição; não se pode dizer que Cristo nos salvou na cruz e dizer que eu me salvo me reencarnando!”

Muito esclarecedor!

[Leia também: 30 diferenças que mostram a incompatibilidade entre Catolicismo e Espiritismo]
[Leia também: 4 razões pelas quais um católico não pode acreditar em karma]