Atriz de Bridget Jones diz que mulheres são pressionadas a abortar crianças com síndrome de down

por -
Pixabay

A atriz Sally Phillips, que interpretou Shazza nos filmes de Bridget Jones, revelou recentemente, no Reino Unido, que mães de bebês com síndrome de Down são pressionadas por médicos a praticarem aborto.

Phillips, casada e mãe de três filhos, um deles com síndrome de Down revelou em artigo publicado pela Radio Times e pelo jornal Daily Mail que “tenho escutado muitas histórias de mulheres sendo pressionadas por médicos para abortar”.

A atriz produziu um documentário para BBC2, e uma das mulheres com quem conversou contou que seu médico orientou “vamos acabar com esse absurdo enquanto podemos.”

Uma outra mulher contou que programaram um aborto sem seu consentimento.

Em um terceiro caso, o médico pressionou uma mulher assegurando que “seu matrimônio acabará se tiver esse bebê”.

Segundo reportagem da AciPrensa, os médicos disseram a Sally que seu filho Oliver, hoje com 12 anos, não andaria e nem falaria. Entretanto, hoje ele corre, nada, anda de bicleta e recita poesias.

Phillips descobriu a anomalia genética de Oliver pouco depois do parto. “Uma vez que passamos o impacto inicial, simplesmente continuamos. Não foi fácil, mas nunca nos queixamos sobre os momentos difíceis”, assinalou.

“Não entendo como isso pode ser aceitável, mas o que eu sei é que me faz doer a cabeça. Se negamos a alguém a oportunidade de nascer porque decidimos que essa não cumpre algumas exigências de status ou de realização, então temos falhado em entender o que significa ser humano”. Concluiu Sally Philips.

[Leia também: Aborto e Eutanásia: a vida em centavos]
[Leia também: A espetacular resposta do Cardeal Arinze sobre aborto]

Comentários

comentários