Batismos feitos durante 20 anos por padre que atuou em Salvador foram inválidos

por -
Créditos: Antonela

Imagina descobrir que um dos sacramentos que você recebeu durante a vida foi inválido? Ou pior, ser sacerdote e constatar que todos os batismos realizados por você nos últimos vinte anos simplesmente não tiveram nenhum valor?

Este é o caso do Pe. Andrés Arango, da Diocese de Phoenix, Arizona (EUA). Recentemente, ele pediu perdão e renunciou ao cargo de pároco da Igreja de São Gregório após saber que, durante todo o seu ministério sacerdotal, usou uma fórmula errada para realizar batismos, tornando-os, assim, inválidos!

[Leia também: 4 dicas imperdíveis para escolher bons padrinhos de batismo]

Batismos feitos durante 20 anos por padre que atuou em Salvador foram inválidos

E muitos brasileiros também foram afetados por esta delicada situação. Isto porque o Pe. Andrés atuou na Diocese de Salvador (BA) no final da década de 1990, antes de voltar aos EUA para atuar na Califórnia e em Phoenix, onde está até hoje.

Em uma nota oficial, o Bispo de Phoenix, Dom Thomas Olmsted, disse ser “com sincera preocupação pastoral” que informava “aos fiéis que os batismos realizados pelo reverendo Andrés Arango, sacerdote da diocese de Phoenix, são inválidos”.

A notícia é “tão difícil de ouvir quanto é um desafio para mim anunciar”, confessa.

O Bispo explica então que o fato se deve à formula errada usada por todo este tempo pelo sacerdote. A informação consta em um documento da Congregação para a Doutrina da Fé, divulgado em 6 de agosto de 2020, e diz que “Nós vos batizamos em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo”. Era assim que o Pe. Arango realiza os batismos.

“O problema de usar ‘nós’ é que não é a comunidade que batiza uma pessoa, mas sim Cristo, e somente Ele, que preside a todos os sacramentos, então é Cristo Jesus quem batiza”, esclarece Dom Thomas.

“Não acredito que o padre Andrés tivesse qualquer intenção de prejudicar os fiéis ou privá-los da graça do batismo e dos sacramentos. Em nome de nossa Igreja local, também lamento sinceramente que esse erro tenha resultado na interrupção da vida sacramental de vários fiéis. É por isso que me comprometo a tomar todas as medidas necessárias para remediar a situação de todos os afetados”.

O Pe. Arango também se manifestou por meio de uma carta aberta, em que lamentou a situação e pediu desculpa a todos os fieis. “Me entristece saber que realizei batismos inválidos em todo o meu ministério como sacerdote usando regularmente uma fórmula incorreta”, falou.

“Lamento profundamente meu erro e como isso afetou muitas pessoas. Com a ajuda do Espírito Santo e em comunhão com a Diocese de Phoenix, dedicarei minha energia e ministério em tempo integral para ajudar a remediar isso e curar os afetados”.

E finalizou: “Peço sinceras desculpas por qualquer inconveniente que minhas ações tenham causado e peço genuinamente suas orações, perdão e compreensão”.

A Diocese de Phoenix divulgou em seu site um formulário para atender os fieis que acreditam ter sido afetados pelos batismos inválidos do sacerdote. Na dúvida, deve-se verificar se o nome do Pe. Andrés Arango consta na certidão de batismo. “Se você foi batizado usando as palavras erradas, isso significa que seu batismo é inválido e você não é batizado. Você precisará ser batizado”, diz o comunicado.

A Diocese de São Salvador da Bahia não se pronunciou sobre o assunto.

[Leia também: Diocese suspende padrinhos de batismo e confirmação]
[Leia também: “Tá sabendo batizar não?”: diz criança em hilário vídeo de batismo que viralizou]
Victoria Arruda é jornalista, ama filmes, livros, música, teologia, política e... pizza. Escreve sobre coisas aleatórias, pra combinar com suas preferências pessoais.