Bispo diz que a Igreja não deve ser “contadora de óbitos” e sim auxílio para as almas

por -
Foto: Diocese de Formosa

Na homilia do dia 20 de junho, o Bispo de Formosa (GO), Dom Adair José Guimarães falou sobre a importância do papel da Igreja em tempos de pandemia e ressaltou que ela não deve ser “uma contadora de óbitos” e sim algo maior!

Bispo diz que a Igreja não deve ser “contadora de óbitos” e sim auxílio para as almas

“O que a Igreja tem a fazer no meio de tudo isso?”, pergunta Dom Adair num trecho do sermão. “O papel da Igreja não é dar indicativos de remédio, não é se tornar uma contadora de óbitos. Não. O papel da Igreja é auxiliar a fé, dar os sacramentos, assistir aos doentes, rezar pelos que morrem, pelo descanso eterno deles”.

“A Igreja não é um sindicato, a Igreja não é uma hospedaria, a Igreja não é um hospital, a Igreja não é uma ONG, a Igreja não é uma associação intramundana, intra-histórica para salvar vidas, para ensinar a fazer as coisas e nos impede das catástrofes sociais etc. Não”, continua o bispo.

A Igreja é a nossa Mãe que nos ensina o caminho da santidade e como enfrentar os desafios. Os tempos são difíceis e querem usar de todo esse contexto sanitário para domesticar o povo, para tirar a fé das pessoas. É muito triste saber que em muitos lugares as igrejas ainda estão fechadas”, lamentou. “A Igreja é tida como inoportuna, a Igreja como desnecessária, a fé como uma bobagem que nós não precisamos viver”.

Dom Adair José disse ainda que o mundo não pode viver sem Deus, e por isso, os católicos precisam buscar segurança e refúgio no Santíssimo Sacramento e na oração.

O que você achou das palavras do bispo?

[Leia também: “Voltaremos a celebrar de forma clandestina?” questiona padre sobre fechamento das igrejas]
[Leia também: “Só na Hóstia tem coronavírus?” Bispo convoca católicos a voltarem às missas]