Como obter indulgência plenária para os fiéis defuntos em tempos de pandemia

por -
Créditos: Facebook

Em novembro, a Igreja dá aos fiéis a oportunidade de oferecer uma indulgência plenária pelas almas do purgatório.

Isto significa que podemos libertar almas do seu castigo temporal no purgatório para que possam ir para o céu!

Devido à pandemia do coronavírus, o Vaticano emitiu um decreto especial penitenciário que estende esta indulgência plenária para todo o mês de novembro. Geralmente, esta indulgência plenária só é reconhecida de 1 a 8 de novembro.

Este ano, nas circunstâncias atuais devidas à pandemia de Covid-19, as indulgência plenárias para os fiéis falecidos se prorrogarão durante todo o mês de novembro, com a adequação das obras e condições para garantir a segurança dos fiéis, diz o decreto.

O comunicado acrescenta que “a indulgência plenária de 2 de novembro, estabelecida por ocasião da Comemoração de Todos os Fiéis Defuntos para os que visitarem piedosamente uma igreja ou oratório e aí recitarem o “Pai Nosso” e o “Credo”, pode ser transferida não só ao domingo anterior ou posterior ou ao dia da solenidade de Todos os Santos, como também a outro dia do mês de novembro, livremente escolhido por cada um dos fiéis”.

Passos para obter uma indulgência plenária para as almas do purgatório em novembro:

1) Rezar em um cemitério

O recente decreto concede indulgência aos fiéis que “visitarem um cemitério e rezarem pelos defuntos, ainda que apenas mentalmente”.

Algumas preces sugeridas incluem a Oração de Santa Gertrudes: “Eterno Pai, Ofereço-Vos o Preciosíssimo Sangue de Vosso Divino Filho Jesus, em união com todas as Missas que hoje são celebradas em todo o mundo; por todas as Santas almas do purgatório, pelos pecadores de todos os lugares, pelos pecadores de toda a Igreja, pelos de minha casa e de meus vizinhos. Amém.”

Ou a Oração do Descanso eterno: “Dai-lhes Senhor o descanso eterno. E que a luz perpétua os ilumine. Descansem em paz. Amém” (rezar três vezes).

2) Se confessar e receber a Sagrada Comunhão

Para obter uma indulgência plenária, seja para as almas ou para si mesmo, os fiéis precisam estar “completamente desapegados do pecado”.

E os doentes, os idosos, os confinados em casa ou os que não podem sair devido às restrições do coronavírus, podem “unir-se espiritualmente a outros fiéis”.

O decreto anima que este momento seja feito “diante uma imagem de Jesus ou da Santíssima Virgem Maria, rezem orações piedosas pelos defuntos, por exemplo, Laudes e Vésperas do Ofício dos Defuntos, o Rosário (terço) Mariano, a Coroa (ou terço) da Divina Misericórdia, outras orações pelos defuntos mais apreciadas pelos fiéis, ou se dediquem à leitura meditada de algumas das passagens do Evangelho propostas para a Liturgia dos Defuntos, ou realizem uma obra de misericórdia, oferecendo a Deus as dores e as dificuldades de sua própria vida”.

O indivíduo também precisa ter “a intenção de cumprir quanto antes as três condições habituais (confissão sacramental, comunhão eucarística e oração segundo as intenções do Santo Padre)”.

3) Rezar pelo Papa

A Igreja sugere que os fiéis rezem um Pai Nosso, Ave Maria e Glória pelo Santo Padre.

Descanso eterno, dai-lhes, Senhor!

[Leia também: É possível retirar uma alma do inferno com nossas orações?]
[Leia também: O que todo católico deve saber sobre as “4 últimas coisas”; sua alma depende disso!]