Conheça a incrível história do padre herói de guerra que pode virar santo!

Créditos: @januaryjaneshop, Instagram / Public Domain / ChurchPOP

Era 2 de novembro de 1950 na Coreia do Norte.

Vinte mil soldados chineses desceram para o Terceiro Batalhão do Exército dos EUA enquanto eles dormiam em tendas. Tiros começaram a encher o céu noturno e uma batalha sangrenta começou.

Em meio às balas e fumaça, um homem alto e magro correu de trincheira em trincheira, arrastando soldados feridos, rezando pelos moribundos e ouvindo confissões. Seu nome era Padre Emil Kapaun.

Um homem calmo e modesto da zona rural do Kansas que se tornou o capelão do exército mais condecorado da América.

Os oficiais gritaram para o sacerdote escapar, mas ele se recusou. Ele correu 300 jardas além das linhas dos EUA para resgatar homens. Ele atendeu mais de 40 feridos em um abrigo, e os chineses estavam se aproximando.

Pe. Kapaun avistou um oficial chinês capturado e fez uma proposta ousada. Ele disse que se renderia e apelaria às autoridades chinesas. O oficial gritou e o tiroteio parou. Pe. Kapaun foi feito prisioneiro com 15 outras pessoas, salvando pelo menos 40 homens.

Os meses que se seguiram foram nada menos que brutais.

Pe. Kapaun carregou soldados feridos nas costas por mais de 160 quilômetros em temperaturas abaixo de zero. Ele passou sete meses em campos de prisioneiros, sobrevivendo de alpiste e neve.

Ele visitava mais de 200 soldados por dia, cuidando de seus ferimentos, passando um cachimbo com palavras de encorajamento e rezando com eles o rosário. ⁣

O nome do padre foi falado com extrema reverência e admiração por todos os soldados que o conheceram. Ele os chamava de “meus meninos” e os servia incansavelmente. Ele roubava comida para eles, fazia fogueiras contra o comando e celebrava missa em segredo.

Ele acordava cedo para martelar potes com restos de metal para ferver água e lavar as roupas das pessoas. Os sobreviventes dizem que ele salvou centenas de vidas com sua bravura heroica. ⁣

Pe. Emil Kapaun morreu de maus-tratos em uma casa de extermínio de Pyoktong em 23 de maio de 1951. Ele foi nomeado “Servo de Deus” em 1993 e recebeu a Medalha de Honra postumamente em 2013 por suas ações na Batalha de Unsan.

Nove dos soldados que ele salvou na batalha estiveram presentes na cerimônia.

Em março de 2021, seus restos mortais foram descobertos entre os soldados não identificados em uma sepultura militar em massa no Havaí. No dia 27 de setembro, seu corpo foi levado para casa em Wichita, Kansas, uma hora ao sul de sua cidade natal em Pilsen.

Em 29 de setembro, foi celebrada uma missa fúnebre 70 anos após sua morte.

Aqui estão algumas fotos do heróico Pe. Kapaun:

Este texto foi publicado inicialmente no Instagram.

[Leia também: Os 3 sacerdotes no Titanic que morreram salvando vidas e almas de passageiros]
[Leia também: Antes morrer do que pisar no terço: conheça o testemunho deste padre em Auschwitz]