Desrespeito: Vereador petista incita grupo a invadir igreja de Curitiba na hora da missa

Créditos: Twitter/Reprodução

O vereador Renato Freitas (PT) e um grupo de ativistas de esquerda invadiram a igreja de Igreja Nossa Senhora do Rosário, em Curitiba (PR), no último sábado (5). O ato de “protesto” ocorreu no horário da celebração da missa, segundo informou a Arquidiocese.

Carregando bandeiras do PT e do PCB e proferindo discursos de ódio, o “Coletivo Núcleo Periférico, contra o racismo, a xenofobia e pela valorização da vida” invadiu o local sagrado para, segundo eles, protestar contra o assassinato de Moïse Kabagambe, jovem congolês morto no Rio de Janeiro no dia 24 de janeiro; e Durval Teófilo Filho, baleado ao ser confundido com um ladrão, na porta de casa em São Gonçalo.

Veja o vídeo:

Em nota divulgada pelo vereador do PT, a igreja foi escolhida “pela relação histórica do local com a população negra curitibana”, tendo sido construída “por e para as pessoas escravizadas, uma vez que negros e negras não poderiam entrar em outras igrejas de nossa cidade”, diz o texto.

Nesta segunda-feira (7), a Arquidiocese de Curitiba divulgou uma nota de repúdio contra o acontecido, assinada pelo Arcebispo Dom José Antonio Peruzzo. O documento lamenta os “comportamentos invasivos, desrespeitosos e grotescos”. assim como as “agressividades e ofensas” do grupo.

Confira a nota completa:

“No dia 05 de fevereiro, em torno das 17.00hs, um grupo apresentou-se junto à porta da Igreja do Rosário, para protestar contra a violência havida no estado do Rio de Janeiro, cujo desdobramento final foi a morte de um cidadão congolês e, em outro caso, a morte de um brasileiro afrodescendente. Era no mesmo horário da celebração da Missa. Solicitados a não tumultuar o momento litúrgico, lideranças do grupo instaram a comportamentos invasivos, desrespeitosos e grotescos.

É verdade que a questão racial no Brasil ainda requer muita reflexão e análises honestas, que promovam políticas públicas com vistas a contemplar a igualdade dos direitos de todos. Mas não é menos verdadeiro que a justiça e a paz nunca serão alcançados com destemperos ou impulsividades desequilibradas.

Desde a sua primeira inauguração, em 1737, a Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Pretos sempre foi um lugar de veneração e de celebração da fé. Foram os escravos a edificá-la. Hoje, muitos afrodescendentes, a visitam. E o fazem em grupos ou individualmente. Sempre primaram pelo profundo respeito, até mesmo quando não católicos.

Infelizmente, o que houve no último sábado foram agressividades e ofensas. É fácil ver quem as estimulou.

A posição da Arquidiocese de Curitiba é de repúdio ante a profanação injuriosa. Também a Lei e a livre cidadania foram agredidas. Por outro lado, não se quer “politizar”, “partidarizar” ou exacerbar as reações. Os confrontos não são pacificadores. O que se quer agora é salvaguardar a dignidade da maravilhosa, e também dolorosa, história daquele Templo.

Curitiba, 07 de fevereiro de 2022.

Dom José Antonio Peruzzo
Arcebispo”

Rezemos pela conversão destas pessoas!

[Leia também: Padre é assassinado enquanto atendia confissões em igreja do Vietnã]
[Leia também: “Ninguém pode defender melhor a Igreja que os fiéis”, exortam os bispos poloneses em carta]
Victoria Arruda é jornalista, ama filmes, livros, música, teologia, política e... pizza. Escreve sobre coisas aleatórias, pra combinar com suas preferências pessoais.