Diagnosticada com câncer terminal, ela escolheu dar à luz, e algo incrível aconteceu

Créditos: CNA.

Jessica Hanna, mãe de quatro filhos, foi diagnosticada com câncer de mama terminal quando estava grávida de 14 semanas. Vários médicos a aconselharam a fazer um aborto, mas ela se recusou e optou por dar à luz aquele bebê.

Em uma entrevista com a EWTN Pro-Life Weekly, ela descreveu como essa gravidez foi muito diferente das três anteriores, dizendo: “Foi Deus me chamando para algo tão grande”.

[Leia também: Com câncer, grávida escolhe amputar a perna para poder salvar a vida da filha]

Diagnosticada com câncer terminal, ela escolheu dar à luz, e algo incrível aconteceu

Créditos: CNA.

Um dia, Hanna notou um caroço no seio. Os médicos diagnosticaram erroneamente dizendo que era benigno. Duas semanas depois, ela descobriu que estava grávida. Em sua primeira consulta de obstetrícia/ginecologia, os médicos a examinaram novamente.

Então descobriram que ela estava com câncer de mama. Os médicos inicialmente pensaram que era um pequeno tumor em estágio 1. No entanto, após passar por uma cirurgia, disseram a ela que o tumor tinha 13 centímetros e estágio 4, o que significa que o câncer provavelmente era terminal.

Católica devota, Hanna recorreu à sua fé para passar por muitos momentos difíceis. Após cada tratamento de quimioterapia, ele rezava no túmulo do Beato Padre Solanus Casey, um futuro santo cujo corpo está enterrado em Detroit, sua cidade natal.

“Rezei em seu túmulo para que eu fosse milagrosamente curada e que meu filho saísse lindo e saudável”, lembrou ela.

Ela entregou seu sofrimento a Jesus

Créditos: CNA.

Depois de ser diagnosticada, ela sentiu que Deus a estava chamando para algo. Incerta de seu próprio futuro, ela abriu uma conta nas redes sociais dois dias após seu diagnóstico para compartilhar sua jornada com outras pessoas e criar uma comunidade de oração onde ela pudesse rezar com seus seguidores e oferecer seu sofrimento por suas intenções.

“Achei que nenhum sofrimento deveria ser desperdiçado”, disse Hanna. “Não sei para onde Deus está me levando. Ele vai me levar pelo caminho onde eu preciso mostrar às pessoas como morrer graciosamente, com sua graça e misericórdia? Ou vai mostrar um milagre?”.

“Resolvi usar as redes sociais para dizer que não importa o que você pensa que vai acontecer, a confiança em Deus é o mais importante… Que você abandone seus próprios desejos e vá aos pés da cruz para que Ele cuide disso.”, acrescentou.

Após o parto, seus exames foram claros: não havia sinal de que o câncer havia se espalhado para outros órgãos. Seu diagnóstico antes terminal era agora curável.

Ela nomeou seu filho Thomas Solanus e seu caso foi submetido à canonização do Beato Padre Solanus Casey.

Belo testemunho de fé!

[Leia também: Ela se recusou a fazer um aborto e seus dois filhos gêmeos viraram padres!]
[Leia também: 3 santos que intercederam pela cura de pessoas com câncer]