Ex-diretor espiritual dos “videntes” de Medjugorje é excomungado!

por -
Créditos: Internet/Reprodução

A Congregação para a Doutrina da Fé excomungou Tomislav Vlasic, o ex-diretor espiritual dos “videntes” de Medjugorje, segundo informou a Diocese de Brescia no último dia 23 de outubro.

Em comunicado, a Diocese declarou que “o senhor Vlasic incorreu em pena de excomunhão” por “nunca ter cumprido as proibições que lhe foram impostas pelo preceito penal canônico emitido em relação a ele pela mesma Congregação em 10 de março de 2009”.

Ele já havia sido expulso do estado clerical desde aquele ano, não podendo também realizar trabalhos de apostolado e formação, principalmente no que dizia respeito a Medjugorje. E somado a isso, estava sob suspeita de “heresia de cisma” e acusado de “propagar doutrinas questionáveis, manipular consciências, misticismos suspeitosos, desobediência às ordens legítimas e desacato contra o sexto mandamento”.

A nota continua dizendo que “nestes anos, na Diocese de Brescia e em outros lugares, [Vlasic] seguiu desenvolvendo atividades de apostolado com indivíduos e grupos mediante meios informativos, continuou declarando-se religioso e sacerdote da Igreja Católica, simulando celebrações de sacramentos não válidos, continuou suscitando grave escândalo entre os fiéis, fazendo atos gravemente nocivos à comunhão eclesial e à obediência à autoridade eclesiástica”.

Agora excomungado, ele está totalmente proibido de “fazer parte de algum modo como ministro na celebração da Eucaristia ou de qualquer outra cerimônia de culto público, celebrar sacramentos ou sacramentais ou receber os sacramentos, exercer funções ou ministérios ou encargos eclesiásticos quaisquer que sejam ou realizar atos de governo“.

“Se o Senhor Vlasic quiser tomar parte da celebração da Eucaristia ou de qualquer ato de culto público, deve ser afastado ou deve-se interromper a ação litúrgica, levando a uma grave causa”, ressalta o comunicado.

A questão de Medjugorje

As aparições de Medjugorje ainda causam muitas controversas dentro da Igreja desde que teriam começado, em 1981. Quando ainda era pontífice, Bento XVI instituiu uma comissão para estudá-las e os resultados também foram avaliados pela Congregação para a Doutrina da Fé.

Recentemente, o Papa Francisco afirmou que esta comissão acredita ser necessário distinguir as primeiras aparições, quando os videntes eram crianças e disse que é preciso continuar investigando. Sobre as aparições atuais, a relação apresenta suas dúvidas.

[Leia também: Papa Francisco revela sua opinião sobre as aparições de Medjurgorje]
[Leia também: Como a Igreja reconhece uma Aparição Mariana?]