O Advento é um tempo penitencial? Explicando esta crença comum

por -
Créditos: Max Beck/Unsplash

A Quaresma e o Advento parecem ter algumas coisas em comum: ambos têm o roxo como cor litúrgica e são tempos de preparação para grandes celebrações.

Todos sabemos que a Quaresma é um tempo penitencial, mas… O Advento também é?

Ainda que seja muito comum acreditarem que o Advento é um tempo penitencial, a resposta na verdade é: não é.

O Código de Direito Canônico é bem específico sobre o que são períodos de penitência na Igreja:

“Os dias e tempos de penitência na Igreja universal são todas as sextas-feiras de todo o ano e o período da Quaresma”. (CCC 1250)

Então é isso: Sextas-feiras (durante todo o ano, vale ressaltar) e a Quarema. O Advento não é mencionado.

Ao contrário, de acordo com as Normas Gerais para o Ano e o Calendário Litúrgico, o Advento é “um período de espera devota e alegre”.

Então por que muitas pessoas acreditam que o Advento é um tempo penitencial?

Porque costumava ser um período penitencial como a Quaresma.

De acordo com a antiga Enciclopédia Católica, o Advento surgiu como um jejum de 40 dias (como a Quaresma) em preparação para o Natal por volta do século V.

Isso explica o sentido do Domingo Laetare, que usa o rosa como sua cor litúrgica: era para ser um momento de trégua no meio de um longo período de jejum.

Mas isso acabou sendo diminuído ao longo do tempo: no século IX foi reduzido para quatro semanas, e no século XII o jejum foi substituído simplesmente pela abstinência. O caráter penitencial se perdeu com o tempo, e aproximadamente a partir do século XX não era mais entendido como tal. E oficialmente, de acordo com o Direito Canônico, não é.

[Leia também: 10 propósitos para você viver este Advento da melhor forma!]
[Leia também: Esta é a oração sugerida pelo Papa Francisco para este Advento]