O dia em que a Igreja convocou um Sínodo para julgar um papa morto!

Créditos: Wikipédia.

A Igreja Católica é uma instituição milenar que já viveu muita coisa, mas ainda sim, não cansa de surpreender! O Pe. Reinaldo Bento recentemente compartilhou em seu Facebook uma curiosa história, de quando um Sínodo foi convocado para julgar não apenas um defunto, mas um papa! Abaixo, deixamos o relato contado pelo sacerdote.

O Sínodo do Cadáver:

“Em janeiro de 897 acontecia o Sínodo do Cadáver, um dos episódios mais cabulosos da história da Igreja.

No ano 896, após a morte do Papa Bonifácio VI, o partido dos duques de Espoleto elevou ao trono pontifício o romano Estêvão VI. Um ano após a sua eleição, influenciado pela terrível mãe do imperador Lamberto de Espoleto, o Papa Estevão VI julgou um dos seus antecessores, o Papa Formoso, que já estava morto há nove meses.

Formoso foi eleito Papa da Igreja em 6 de outubro de 891 e durante seu pontificado coroou Arnolfo da Alemanha como imperador, deixando a senhora Ageltrudes e seu filho irritadíssimos. Nove meses após a sua morte, para que seus atos fossem reprovados, o cadáver de Formoso foi exumado para ser julgado perante um “Sínodo do Cadáver”.

O cadáver de Formoso foi exumado da cripta papal e julgado na Basílica de São João de Latrão, pelo então Papa Estêvão VI. O finado foi acusado de excessiva ambição pelo cargo e todos os seus atos foram declarados nulos. Seu cadáver foi despido das vestes pontifícias, seus dedos consagrados foram cortados e o seu corpo foi lançado em uma cova para estrangeiros, como forma de desonra.

Logo após o espetáculo macabro, a cidade de Roma foi atingida por um terremoto que destruiu a Basílica de São João de Latrão. Então o corpo de Formoso foi novamente exumado e, para aumentar ainda mais a sua pena, o papa ordenou que ele fosse esquartejado e jogado no Rio Tibre. Mas… o Papa Estevão VI também teria o seu fim trágico.

Circularam então rumores de que o corpo de Formoso tinha começado a fazer milagres em pessoas, após estas se lavarem nas margens do rio Tibre. A população então ficou revoltada e fez com que o Papa Estêvão fosse deposto e encarcerado. Enquanto estava na prisão, em julho ou agosto de 897, o papa Estevão foi tragicamente estrangulado.

Porque é importante que os católicos saibam desses acontecimentos? Para que percebam que é somente a Graça de Deus que sustenta a Igreja. Se fossemos julgar a Igreja pela fraqueza dos homens, essa já teria deixado de existir há muitos séculos”.

Louvado seja Deus que sustenta a Sua Igreja!

[Leia também: O plano secreto de Hitler para sequestrar o Papa Pio XII]
[Leia também: Conheça a incrível história do Papa que pediu ajuda a uma santa para tirá-lo do purgatório]