O dia que o Vaticano foi bombardeado na Segunda Guerra Mundial

Papa Pio XII acalmando o povo nas ruas de Roma. Créditos: Vatican Media

No dia 5 de novembro de 1943, há exatos 77 anos, o Vaticano era bombardeado em plena Segunda Guerra Mundial.

O ataque aéreo aconteceu por volta das 20 horas, quando um avião não identificado lançou cinco bombas; uma atingiu a estação de trem do Vaticano, outra foi perto da Basílica de São Pedro, outra no Palácio do Governo, outra na oficina de mosaico e a última não chegou a explodir. Os jardins vaticanos e parte dos muros também foram danificados pelas explosões.

Em questão de perdas de patrimônio, provavelmente a oficina dos mosaicos foi um dos lugares mais afetados, pois vários trabalhos de restauração de peças valiosas estavam sendo feitos no período, e infelizmente muito se perdeu.

Segundo o historiador Augusto Ferrara, que fala sobre o ataque em seu livro “1943, bombas sobre o Vaticano”, o objetivo do ataque era interromper a transmissão da Rádio Vaticana.

Além do Vaticano, a cidade de Roma também sofreu bombardeios em 19 de julho e 13 de agosto de 1943, causando cerca de três mil mortos e outros milhares de feridos.

E vendo o sofrimento do povo, o Papa Pio XII não só ficou movido de compaixão, como desceu às ruas de Roma, acompanhado pelo Monsenhor Giovanni Battista Montini (que futuramente seria o Papa Paulo VI), para acalmar e consolar a população vizinha, mesmo com as bombas ainda em curso.

[Leia também: O plano secreto de Hitler para sequestrar o Papa Pio XII]
[Leia também: Reaparece quadro de Nossa Senhora que os nazistas roubaram de uma família judia]