“O Mundo Sombrio de Sabrina”: Advertências para os cristãos sobre a nova série da Netflix

por -
Netflix

ALERTA: Este artigo contém spoilers.

Netflix estreou a série “O Mundo Sombrio de Sabrina” e todos estão falando sobre isso.

No entanto, pouco ou nada tem a ver com “Sabrina, a aprendiz de feiticeira”, a popular série dos anos 90 protagonizada por Melissa Joan Hart.

A nova versão é baseada em uma obra de Archie Comics, escrita em 2014 por Roberto Aguirre-Sacasa.

A diferença da antiga comédia, para esta é que a nova série se aprofunda no terror, magia negra e no demônio. Nos diálogos admite-se  que a nova Sabrina e seus familiares, são adoradores de Satanás, ou como o chamam na série: o Senhor das Trevas.

Os diálogos incluem expressões como: “Louvado seja Satã” ou “Pelo amor de Lúcifer”, como alegoria a expressões cristãs que conhecemos.

No primeiro capítulo, uma das tias indica a Sabrina que servir ao Senhor das Trevas é seu dever sagrado e honroso, logo recebem a visita de um personagem considerado o representante do demônio na terra.

No capítulo 2 representam o batismo satânico de Sabrina, durante o que se invoca a Satanás como deus e no capítulo 8 indica que Satanás, diferentemente de Deus, aceita nossas debilidades e carências sem nos julgar.

Embora a série apresente estes temas de maneira sútil, o inferno, o demônio e o satanismo existem e cada vez ganham mais adeptos.

Existem grupos muito ativos como Satan Temple que tratam de difundir as missas negras em espaços públicos e inclusive instalam estátuas dedicadas ao demônio em lugares de uso comum.

Não é a nossa intenção dizer que por ver uma série você se tornará uma pessoa satânica. No entanto, ao dar popularidade a esse tipo de conteúdo, acabamos difundindo de uma forma ou de outra o satanismo como uma religião comum no mundo.

[Leia também: 7 erros sobre morte, inferno e demônio que não devemos cometer]
[Leia também: 6 coisas que você não sabia sobre o diabo e seus demônios, segundo exorcista Fortea]

Comentários

comentários