Padre orientador de Tite fala sobre a fé católica do treinador

por -
Arquivo pessoal/Pe. Jeferson Mengali

Uma matéria no site GloboEsporte.com entrevistou o padre Jeferson Mengali orientador espiritual de Tite, treinador da seleção brasileira futebol, e revelou um pouco sobre a fé do comandante da seleção canarinho.

O sacerdote disse ao site que o técnico não é supersticioso, mas acredita que a paz de espírito é necessária para tomar as melhores decisões. Falou ainda que Tite tem uma grande devoção a São Jorge, o santo padroeiro do Corinthians.

Pe. Mengali tornou-se conselheiro espiritual do treinador em 2013. “O Tite sempre tem uma imagem de Nossa Senhora Aparecida no vestiário, deixa uma vela acesa e reza antes e depois de todos os jogos”.

Desde que chegou na Rússia o treinador tem falado com o padre que disse que tem sentido Tite tranquilo e confiante no trabalho que foi feito, e que a seleção está preparada para brigar pelo hexa.

“O Tite está centrado, sereno. Está focado no trabalho. A última conversa foi muito bacana. O projeto foi muito bem executado e, agora, vamos torcer para que nada atrapalhe. Tem uma coisa que o Tite sempre me diz: ‘Vencer por vencer não vale a pena. Temos que vencer se formos merecedores. Se merecer, vamos ganhar. Se não merecer, melhor que o outro ganhe. Porque na derrota, você aprende’.

Um dos sinais da religiosidade de Tite é que ele sempre escolhe o local da concentração próximo a uma Igreja. A prioridade do técnico é sempre favorecer a vivência de sua espiritualidade, por isso, a escolha de um local perto da Igreja.

O padre fala que não devemos confundir a fé do técnico com superstição, como é comum no esporte.

“O Tite tem a medalhinha dele, que eu também uso. Ele leva no bolso um terço que dei a ele quando era técnico do Corinthians. Isso não é superstição, é sinal de fé, da religiosidade dele. Foge essa questão de superstição. Ele sabe que tem um Deus que olha por ele, como olha por todos nós”.

[Leia também: “O ouro é nosso, mas a glória é de Deus!” Weverton, goleiro da seleção brasileira de futebol]
[Leia também: Usain Bolt, sua fé católica e a Medalha Milagrosa]

Comentários

comentários