Padre que mandou pintar cruz da própria igreja pede afastamento por estar sofrendo ameaças

por -
Créditos: Internet/Montagem/ChurchPOP

O Pe. Luciano Silveira, pároco da Igreja Nossa Senhora Conceição, no município do Conde, na Paraíba, ganhou destaque no início do mês por um triste incidente: recebeu voz de prisão e foi levado à delegacia para prestar esclarecimentos por ter mandado pintar a Cruz que pertence à igreja!

[Entenda: Inacreditável! Padre é preso por pintar Cruz que pertence à paróquia]

Após toda a repercussão do caso, que viralizou nas redes sociais, nesta terça-feira (13), o sacerdote divulgou uma nota em que comunica seu afastamento temporário das atividades da paróquia.

Ele informou que fez o pedido ao Arcebispo “pois temo por minha integridade física, uma vez que eu estou sendo hostilizado por meio de discursos de ódio e ataques verbais dirigidos a mim através de redes sociais”.

Pe. Luciano também agradeceu o apoio que vem recebendo nestes tempos difíceis e exortou a todos a buscarem a paz e o diálogo, ao invés do conflito.

Confira a nota na íntegra:

“Caríssimos irmãos e irmãs em Cristo Jesus, e a todos quantos virem essa nota, desejo a graça e a paz de Cristo. Nos ensina o apóstolo dos gentios, São Paulo, que: “em todas as coisas somos bem mais que vencedores, graças Àquele que nos amou” (Rm 8,37). Jesus Cristo, nosso Senhor e mestre, nos ensina que: “neste mundo vocês terão aflições, mas tenham coragem: Eu venci o mundo” (Jo 16,33).

É sabido por todos que no último dia 03 de outubro do corrente ano, ocorreu um lamentável incidente envolvendo a minha pessoa e, consequentemente, a Igreja Católica em Conde e o poder público municipal. Episódio este, que está sendo devidamente acompanhado pela Arquidiocese da Paraíba, através do Arcebispo Metropolitano e da assessoria jurídica, buscando assim as elucidações dos fatos ocorridos. Desta forma, vivendo em um estado democrático de direito e respeito as garantias fundamentais do cidadão, desejamos que a luz da justiça, da democracia e da verdade, se evite erros, tiranias e abusos porvindouros.

Diante de toda a situação e buscando me resguardar, solicitei a Arquidiocese um afastamento provisório da Paróquia, pois temo por minha integridade física, uma vez que eu estou sendo hostilizado por meio de discursos de ódio e ataques verbais dirigidos a mim através de redes sociais. A referida salvaguarda de minha integridade física em nada prejudica todos os procedimentos administrativos, policiais e judiciais sobre os lamentáveis fatos ocorridos, inclusive a respeito de qualquer tipo de ameaça decorrente de posicionamentos divergentes e lamentáveis.

Agradeço a todos os paroquianos, aos cidadãos condenses (dos quais faço parte) e a um grande número de católicos da Paraíba, do Brasil e do mundo que de alguma maneira externaram solidariedade a minha pessoa. Que Deus os abençoe e Nossa Senhora da Conceição, Padroeira de nossa Paróquia (estendendo também essas bênçãos as pessoas que pensam de forma contrária, pois apesar de todas as diferenças quer queiram/creiam ou não, somos filhos do mesmo Deus), os protejam e os livrem de todos males.
Procuremos construir um mundo com base na solidariedade, buscando nas divergências o complemento e não o afastamento em convívio social, RESPEITANDO SEMPRE o próximo naquilo que lhe seja de direito, buscando o diálogo, a serenidade e a paz.

Conde, 13 de Outubro de 2020.
Padre Luciano Gustavo Lustosa da Silveira
Pároco
“A verdade brotará da terra e a justiça se inclinará lá dos céus” (Sl – 85,12)”.

Rezemos pelo padre Luciano!

[Leia também: Padre de 73 anos é agredido a facadas quando chegava para abrir sua paróquia]
[Leia também: Em decisão unânime, Justiça inocenta Padre Robson e ação contra ele é arquivada]