Processo contra Padre Robson de Oliveira é arquivo de vez pelo STJ

por -
Créditos: Danilo Eduardo/Cortesia para o ChurchPOP

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu arquivar definitivamente o processo contra padre Robson de Oliveira, ex-reitor do santuário do Divino Pai Eterno, de Trindade (GO). O sacerdote estava sendo acusado de desvios financeiros na Associação Filhos do Pai Eterno (Afipe), instituição que fundou e presidia.

A emissão da “certidão de trânsito em julgado” ocorreu nesta segunda-feira (18). Pedro Paulo de Medeiros, advogado do padre, disse que o STJ confirmou a decisão tomada pelo Tribunal de Justiça de Goiás em outubro de 2020, na qual entende que não houve crime praticado por Pe. Robson.

Em tal sentença, o Tribunal de Justiça de Goiás inocentou o padre Robson, que estava sendo acusado de lavagem de dinheiro. Ele era pivô de uma investigação do Ministério Público de Goiás (MP-GO), que afirmava que ele teria movimentado cerca de R$ 2 bilhões durante 10 anos, através da Afipe, que fica em Goiás.

O MP-GO, no entanto, entrou com um mandado de segurança no STJ, a ser analisado pela Corte Especial, questionando a não aceitação do recurso solicitado por eles. “Portanto, mesmo que tenha havido trânsito em julgado no processo originário, ainda há esta ação para ser julgada”, informou o MP em nota.

Feliz com a conclusão do caso, o advogado afirma que Pe. Robson, “injustiçado como foi, agora absolvido, poderá finalmente continuar sua vida de evangelização, servindo à Igreja”.

[Leia também: CNN perde processo por Fake News sobre jovem em Marcha Pela Vida nos EUA]
[Leia também: “Querem que eu me cale? Jamais!”: padre sofre ciberataque e recebe envelope com bala]
Victoria Arruda é jornalista, ama filmes, livros, música, teologia, política e... pizza. Escreve sobre coisas aleatórias, pra combinar com suas preferências pessoais.