Um exemplo de mulher, mãe e amor a vida

por -

Diante de uma sociedade que perde a passos cada vez mmais largos o sentido de Deus, que tem sua identidade criada por Deus destruída por ideologias materialistas, eis que o Senhor nos dá um forte testemunho de esposa e mulher para os dias atuais: Chiara Corbella Petrillo.

O jornalista e apologista inglês G. K. Chesterton afirma que o santo é o antídoto de seu tempo. E Chiara certamente é um antídoto para esse tempo dominado pelas ideias feministas, em que as mulheres já não sabem qual o seu papel na sociedade.

Chiara foi uma mulher cheia de coragem, disposição, alegria e de uma juventude espiritual que vivificava a todos que estavam a seu redor.

Chiara conheceu seu marido, Enrico Petrillo, em Medgujorge, os dois foram acompanhados durante um tempo por alguns frades da cidade de Assis, e nesse período viveram um discernimento se era vontade de Deus que viessem a namorar. Chiara e Enrico casaram-se em 2008.

[Leia também: Carta de uma santa a seu noivo]

E a primeira coroa desse santo casamento foi a gravidez de Maria. No entanto, ao fazer a ultrassonografia, descobriu que sua filha tinha anencefalia. O casal seguiu a gravidez até o fim, dando um grande testemunho em defesa da vida. Trinta minutos depois de nascer, Maria faleceu.

Depois de Maria, o casal teve a graça de gerar o segundo filho, Davide. Assim como na gravidez anterior, ainda no início da gestação, foi diagnosticada uma deficiência no bebê. Ele não possuía as pernas e tinha má formação visceral. E mais uma vez fazendo a escolha radical pela vida, Chiara e Enrico foram até o fim com a gravidez. Davide também faleceu com poucos minutos de vida.

E pela terceira vez, Deus presenteou o casal com uma gravidez. Era um menino, Francisco, e para a alegria do casal, era saudável. No entanto, perto dos 5 meses de gestação, Chiara descobriu uma lesão na língua, e logo foi diagnosticado que ela tinha um câncer.

Diante dessa realidade, ela tinha duas opções: fazia o tratamento contra o câncer que acabaria levando-na a um aborto, ou adiaria o tratamento para dar seguimento a gravidez. Mais uma vez Chiara deu testemunho de coragem e escolheu adiar o tratamento para não colocar em risco a vida de seu filho, mesmo que isso colocasse em risco sua própria vida.

Depois do parto de Francesco, Chiara deu início ao tratamento com quimioterapia e radioterapia. Durante todo o tratamento, o que todos puderam ver foi um forte testemunho de abandono e confiança nas mãos de Deus, de quem sabe que a Providência Divina nos reserva sempre o melhor.

No dia 13 de junho de 2012, Chiara não resistiu e faleceu. No dia 21 de setembro, foi aberto o processo de beatificação da Serva de Deus, Chiara Corbella Petrillo.

Que diante dessa cultura de morte, que tenta se instaurar em nossos dias, possamos contar com o testemunho e intercessão de Chiara Corbella!

[Leia também: Chiara Luce: exemplo de vida santa para os jovens]

Comentários

comentários