Uma criança e suas 5 simples (e extraordinárias) maneiras de crescer em santidade

por -
Créditos: Laura Vicuña/Domínio Público

Um bom e santo padre uma vez me disse que a santidade é uma coisa séria.

Refletindo sobre isso, diria que a santidade é a coisa mais séria que existe! No entanto, seriedade não quer dizer grande complicação. Muitas vezes existem pessoas que gostam de complicar as coisas.

O mesmo pode ser dito sobre a santidade.

Uma pessoa pode ir à missa todo domingo, se apegar a piedade por meio de devoções pessoais e compartilhar belas orações nas redes sociais. Mas não isso não a faz necessariamente, santa.

Ela pode fazer isso, mas ainda sim tratar mal os outros e viver uma vida de pecado. Não me interpretem mal – embora alguém possa ser religioso sem ser santo, duvido que se possa ser santo sem ser religioso. Ou pelo menos a vida dos santos discorda.

Santidade significa simplesmente “separado” – estar neste mundo, mas não ser deste mundo – deixando o amor de Deus permear o seu ser tão completamente que você não pertence mais a si mesmo, mas ao Senhor.

E falando de tal amor e santidade, gostaria de mencionar uma garotinha em suas cinco simples lições para crescer na santidade pessoal.

A vida da beata Laura Vicuña

Laura Vicuña nasceu em Santiago, no Chile, em 5 de abril de 1891. Apenas alguns anos após seu nascimento, seu pai morreu. Sua mãe Mercedes foi forçada a se mudar para a Argentina para não passarem fome.

Aos nove anos, a mãe de Laura matriculou ela e sua irmã Julia em uma escola salesiana. A mãe de Laura então começou a trabalhar para Manuel Mora como empregada doméstica e acompanhante em troca de hospedagem, alimentação e mensalidade escolar para suas duas filhas.

Manuel Mora era um canalha que regularmente abusava de Mercedes.

Uma vez, durante as férias escolares, Manuel bateu em Laura duas vezes e tentou avançar sobre ela. Quando ela resistiu e fugiu, ele suspendeu as mensalidades. No entanto, quando as irmãs salesianas souberam da situação, ofereceram uma bolsa de estudos a Laura e sua irmã. Eles então estavam protegidas na casa de Maria.

A pequena Laura ficou doente e ofereceu sua doença pela conversão da mãe.

Quando Laura estava perto da morte, as irmãs ligaram para Mercedes. Laura ficou muito feliz em ver sua mãe, e ainda mais feliz por, naquela visita, Mercedes ter se confessado e prometido que daria sua vida de volta ao Senhor.

Quando Laura ouviu isso, não conteve sua alegria e exclamou: “Obrigada Jesus! Obrigada Maria! Agora posso morrer em paz!” Laura morreu em 22 de janeiro de 1904, com apenas 12 anos de idade.

E que lições de santidade Laura Vicuña pode nos ensinar? Aqui estão algumas citações simples mas impressionantes da jovem beata em sua curta vida.

1) “Fazer a vontade de Deus: esta é a minha oração preferida”.

Reze pela vontade de Deus na sua vida e reze pela coragem para segui-la. Ele te conhece e te ama mais do que você ama a si mesmo. Ele pode e fará algo incrível na sua vida se você permitir.

2) Seja constante na virtude”

Pratique santos hábitos, especialmente a virtude da pureza. Reze pela graça do autodomínio. Tome controle dos seus sentidos. Não faça, fale, olhe ou ouça nada que possa comprometer suas virtudes, principalmente a pureza. Mantenha-se em estado de graça e se confesse frequentemente. Se você cair, vá à confissão rapidamente!

3) “Ó Jesus, eu me ofereço a Ti e quero ser inteiramente Tua!”

Laura era conhecida por receber a Santa Comunhão o mais frequente que podia, e também fazia constantes visitas ao Santíssimo Sacramento. Permaneça perto de Jesus na Eucaristia.

4) “Ó Maria, dai-me tua mãe, toma a minha!”

Fique perto da Virgem Maria. Laura era próxima de Nossa Senhora e Nossa Senhora estava sempre próxima de Laura.

5) “Sofra em silêncio e sorria sempre”.

Esteja alegre, mesmo no meio do sofrimento. Em outras palavras, ofereça tudo e continue sorrindo. Laura fez isso e agora está indo rumo aos altares.

A santidade é mesmo simples!

O papa São João Paulo II beatificou Laura Vicuña na Basílica de São Pedro em 3 de setembro de 1988. Ele usou vestes vermelhas, fazendo de Laura uma mártir por ter oferecido sua vida pela alma da mãe.

Beata Laura Vicuña é padroeira das vítimas de abusos, estupros, incestos, perda dos pais e da pureza.

Beata Laura Vicuña, rogai por nós!

[Leia também: Beatificação de nova mártir brasileira é adiada para 2021]
[Leia também: Como um beato sorridente pouco conhecido mudou minha visão sobre a santidade]