Homem é descoberto depois de 18 anos se passando por padre

por -

A Igreja Católica apanhou na Espanha um homem que se passava por sacerdote. Ele estava servindo como padre há 18 anos.

Miguel Ángel Ibarra praticou o falso sacerdócio primeiro na Colômbia, depois se mudou para a Diocese de Cádiz y Ceuta, Espanha, em outubro de 2017.

A Igreja reconheceu os batismos e casamentos que o falso padre realizou, mas suas confissões não são válidas. As celebrações eucarísticas também não.

Segundo um comunicado de imprensa publicado no site da Diocese de Cádiz y Ceuta, Ibarra atuou como sacerdote em várias paróquais da Colômbia. Em 13 de dezembro, no entanto, foi despedido de seus deveres pastorais.

A Arquidiocese de Santa Fé de Antioquia, na Colômbia, “advertiu em 13 de dezembro a Diocese de Cádiz e Ceuta que, depois de uma denúncia de que os documentos da ordenação eram falsos, foi realizada uma exaustiva investigação que concluiu que Miguel Ángel Ibarra nunca tinha sido ordenado sacerdote”.

Explicaram ainda que “já estão trabalhando na investigação correspondente, e estão reparando as consequências que as ações desta pessoa possam ter gerado”.

“A Diocese de Cádiz y Ceuta lamenta que, eventos como este, possam eclipsar o trabalho de seus sacerdotes devidamente ordenados, que servem a Igreja diocesana, todos os dias, de maneira exemplar”.

Oremos por todos os afetados por este incidente!

São João Maria Vianney, padroeiro dos sacerdotes, rogai por nós!

 

[Leia também: Papa Francisco diz que um homossexual não pode ser sacerdote nem consagrado]

Comentários

comentários