Mulher é parada pela polícia ao ir à Adoração Perpétua mas os deixa chorando de joelhos

por -
Créditos: Exe Lobaiza/ Cathopic.

A adoração eucarística perpétua tem um poder imenso que transforma completamente o mundo. Em um testemunho incrível à Rádio María Argentina, o Padre Patricio Hileman relatou um acontecimento surpreendente que aconteceu uma noite em Ciudad Juárez, no norte do México.

A região vivia uma terrível guerra de facções do narcotráfico entre os cartéis de Juárez e Sinaloa, motivo pelo qual o Estado impôs um estado de sítio.

Como resultado deste contexto de violência e morte que assolou terrivelmente a cidade, uma paróquia pediu autorização para abrir uma capela de adoração eucarística perpétua. Em apenas três dias, eles conseguiram organizar o estabelecimento da pequena instalação.

Certa noite, às 3 da manhã, uma senhora saiu de casa no meio do estado de sítio para ir à adoração eucarística e cumprir seu turno da Hora Santa.

Enquanto caminhava, seis soldados armados a interceptaram: “O que você está fazendo a esta hora e em estado de sítio?” disseram à mulher.

“Vou à capelinha da adoração perpétua”, responde a mulher.

“Que capelinha, se está tudo fechado aqui?”, responde o soldado.

“Então venha comigo”, diz a senhora.

Os militares seguiram a mulher até onde ela estava indo e encontraram seis outras mulheres fazendo a Hora Santa às 3 da manhã.

Então a mulher disse a eles: “Vocês acham que nos protegem? Estamos rezando por vocês 24 horas por dia“. O rapaz que havia falado com ela primeiro caiu de joelhos com sua arma diante do Santíssimo Sacramento.

No dia seguinte, às 3 da manhã, lá estava o soldado à paisana, fazendo a Hora Santa chorando e comovido.

Queda do número de mortes em Ciudad Juárez

Segundo o padre Hileman, o sacerdote da capela da adoração eucarística perpétua telefonou-lhe pouco depois e disse-lhe que desde a inauguração da capela não houve uma única morte em Ciudad Juárez durante os dois meses que se passaram.

A iniciativa continuou e outras dez capelas semelhantes foram instaladas. Então um bispo chamou o padre um ano depois para dizer-lhe que em Ciudad Juárez, quando ele abriu a capela, ele tinha pensado em fechar o seminário porque ele tinha apenas oito seminaristas. No entanto, ele disse a ela que depois de um ano da iniciativa da adoração eucarística perpétua, o número de seminaristas havia subido para 88!

Todos os que entraram eram meninos que haviam realizado a Hora Santa na capela.

Bendito seja Deus!

[Leia também: Ex-pastor se converte ao catolicismo: “só aqui me encontro com Cristo na Eucaristia”]
[Leia também: Conheça a história da “flor eucarística” que venceu uma satanista]