Políticos que defendem o aborto não devem receber a Eucaristia, disse Bispo dos EUA

por -

O Bispo de Spokane (Estados Unidos), Mons. Thomas Daly, assinalou que os políticos que se dizem católicos e pró aborto não devem receber a Sagrada Comunhão.

Os políticos que residem na diocese católica de Spokane e que obstinadamente perseveram em seu apoio público ao aborto não devem receber a comunhão sem antes reconciliar-se com Cristo e com a Igreja“, escreveu o Bispo em uma carta no dia 01 de Fevereiro.

Os esforços para expandir o acesso ao aborto, permitindo que se assassine crianças até o momento do nascimento são um mal. As crianças são um dom de Deus sem importar as circunstâncias de sua concepção. Não só tem o direito a vida, como que nós temos a obrigação moral de protegê-las”, ressaltou o Bispo.

O campeão destas leis de aborto é Andrew Cuomo. o governador católico de Nova Iorque que frequentemente fala de sua fé católica como respaldo para as leis que ele favorece. Seu testemunho público como político católico, junto com seu apoio ao aborto, é inaceitável“, disse o Bispo de Spokane.

[Leia também: Hipócritas! Nova Iorque celebra lei do aborto iluminando local com memorial de crianças não-nascidas]

Monsenhor Nevares, bispo auxiliar da diocese de Phoenix, juntamente com alguns movimentos católicos pediram a excomunhão do Governador de Nova Iorque, Andrew Cuomo, que no dia 22 de janeiro assinou uma lei que permitirá que o aborto seja praticado legalmente durante toda a gravidez. Ou seja, aprovou a lei do infanticídio.

Em sua carta, D. Daly explicou que o cânon 915 do Código de Direito Canônico estabelece que os católicos que “obstinadamente persistam em um pecado grave não devem ser admitidos a Santa Comunhão”. 

Me sinto obrigado a alçar a minha voz e pedir ao Cardeal Dolan (Bispo de Nova Iorque) e a todos os bispos católicos que excomunguem os governadores católicos e todos os políticos católicos que promovem o assassinato de bebês recém nascidos, uma prática malévola, horrível e sim, demoníaca”, escreveu Mons. Nevares em sua conta de Twitter.

Na parte final de sua carta, Dom Daly pediu aos fiéis: “Voltemo-nos ao Senhor em oração por nossos líderes políticos, confiando a cada um especialmente à intercessão de Santo Tomás Moore, um sevidor público que preferiu morrer nas mãos das autoridades civis a abandonar a Cristo e a Igreja. Rezemos também pelos não nascidos e por todas as grávidas“, concluiu.

[Leia também: Padre é preso por aconselhar mulheres a não cometerem o aborto]

Comentários

comentários